Página do Parlamento indica 35 faltas sexta-feira, quando houve 48 deputados que não votaram

 Página do Parlamento indica 35 faltas sexta-feira, quando houve 48 deputados que não votaram

 

Lusa/AO Online   Nacional   9 de Dez de 2008, 15:13

A página do Parlamento com a informação das presenças dos deputados indica 35 faltas na sexta-feira, quando houve 48 deputados que não votaram, pelo menos, o projecto do CDS-PP sobre a suspensão da avaliação dos professores.

  Sexta-feira, no momento da votação do projecto do CDS-PP, o presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, começou por anunciar o chumbo do diploma pela maioria parlamentar do PS – apesar de ter havido seis deputados socialistas a votar a favor e uma socialista a abster-se, colocando o partido em minoria, em termos absolutos.

    O CDS-PP pediu então que se contassem os votos e os deputados presentes levantaram-se por blocos num processo que levou alguns minutos, no fim do qual a mesa reiterou o chumbo do diploma anunciando os seguintes resultados: 101 votos contra (do PS), 80 votos a favor (74 da oposição e seis do PS) e uma abstenção (do PS).

    Segundo estes resultados, estavam presentes 182 dos 230 deputados do Parlamento, faltando portanto 48.

    Contudo, a página da Assembleia da República na Internet com a informação das presenças de sexta-feira regista apenas 35 faltas: 12 do PS, 20 do PSD, duas do CDS-PP e uma do PCP.

    Na sexta-feira o PS teve 101 deputados a votar contra o projecto do CDS-PP, seis a votar a favor e uma deputada que se absteve, o que totaliza 108, concluindo-se por isso que houve ainda 13 dos 121 deputados da bancada socialista que faltaram à votação.

    Quanto à oposição, que tem 109 deputados na actual legislatura, na sexta-feira somou um total de 74 votos, o que significa que havia 35 deputados a menos.

    No momento da votação foi possível verificar que os oito deputados do Bloco de Esquerda (BE) estavam presentes no hemiciclo, que no PCP faltava um deputado, Honório Novo, que o partido informou estar doente, que nos Verdes faltava a deputada Heloísa Apolónia e que no CDS-PP faltavam dois deputados, Teresa Caeiro e Telmo Correia.

    Um terceiro deputado do CDS-PP, Hélder Amaral, não entrou na sala a tempo de participar na votação do projecto que recomendava ao Governo a suspensão da avaliação dos professores.

    Sendo cinco as ausências na restante oposição, haveria 30 deputados ausentes na bancada do PSD.

    Fonte da bancada social-democrata disse à agência Lusa que onze dessas ausências foram previamente justificadas: as do deputado Almeida Henriques, por luto, dos deputados Matos Correia e Duarte Lima, por doença, e dos deputados Agostinho Branquinho, Pedro Santana Lopes e Montalvão Machado, dispensados por motivos de trabalho político.

    A estes somam-se Mota Amaral, Mendes Bota, José Luís Arnaut, José Freire Antunes e Duarte Pacheco, ausentes em missão parlamentar, como consta da página do Parlamento.

    Além destes onze deputados do PSD terão faltado outros 19, segundo os resultados da votação anunciados pela mesa.

    No entanto, a página do Parlamento na Internet só refere nove: Virgílio Costa, Rui Gomes da Silva, Miguel Frasquilho, Jorge Varanda, Jorge Pereira, Jorge Neto, Jorge Costa, Henrique de Freitas e Carlos Páscoa Gonçalves.

    Quanto ao PS, a página do Parlamento regista doze faltas, menos uma do que as verificadas no momento da votação do projecto do CDS-PP.

    Os deputados Pedro Nuno Santos, Paula Nobre de Deus, Mota Andrade, Marta Rebelo, Jorge Seguro Sanches, Joaquim Couto aparecem com falta por justificar, Maria Manuel Oliveira surge com falta justificada por doença, enquanto Maximiano Martins, José Vera Jardim, João Soares, Hortense Martins e Fátima Pimenta aparecem como ausentes em missão parlamentar.

    O deputado do PS Jorge Seguro Sanches contactou a agência Lusa para sublinhar que, ao contrário do que aparece registado na página do Parlamento, esteve presente em toda a sessão e em todas as votações de sexta-feira e informar que já denunciou o erro no registo das presenças aos serviços e à mesa do Parlamento.

    Também o socialista Pedro Nuno Santos estava presente nas votações, o que a agência Lusa pôde verificar na sexta-feira.

    No que respeita ao CDS-PP, na página do Parlamento Hélder Amaral aparece como presente, assim como Heloísa Apolónia, dos Verdes.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.