“Os poemas são coisas que se sentem de repente”

“Os poemas são coisas que se sentem de repente”

 

Ana Carvalho Melo   Cultura e Social   19 de Fev de 2019, 09:09

Laureano Almeida acaba de lançar o livro “Ao Som do Búzio”, um livro que reúne os poemas escritos ao longo dos últimos anos e que estavam guardados numa cesta de vimes.

Como surge a ideia de publicar este livro?
Eu venho há já algum tempo a fazer alguns escritos, poemas e outros trabalhos, que estavam lá por casa guardados porque a minha mulher [Fátima Almeida] é organizadíssima. Os poemas iam ficando por aqui e por ali. Depois a minha filha Susana [Rodrigues] vinha-me desinquietando há muito tempo para fazer um livro, o que eu fui sempre adiando, e até subestimando os trabalhos. São coisas simples, que de importante têm a sinceridade e a espontaneidade de tudo o que digo. 


Ler mais na edição imprensa desta terça-feira, 19 fevereiro 2019, do jornal Açoriano Oriental




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.