Turismo

Operador britânico em falência tem cerca de 740 passageiros no Algarve

Operador britânico em falência tem cerca de 740 passageiros no Algarve

 

Lusa/AO online   Economia   12 de Set de 2008, 17:08

O operador turístico britânico XL Leisure Group, que hoje declarou falência e cancelou todos os voos, tem cerca de 740 passageiros no Algarve, segundo os dados da gestora aeroportuária portuguesa ANA.
Em Portugal, a companhia charter do grupo, a homónima XL, opera apenas para o aeroporto de Faro, de onde mantém dois voos marcados para sábado e outros dois para domingo, destinados ao Reino Unido, disse à agência Lusa o porta-voz da ANA.

    "Até ao momento, ainda não foram comunicados os cancelamentos, mas admitimos que venham a ser brevemente", afirmou Rui Oliveira.

    No ano passado, a companhia aérea do grupo transportou 80 mil passageiros para Faro e este ano cerca de 50 mil, de acordo com os dados da ANA.

    O XL Leisure Group disponibilizou na sua página Internet, em www.xl.com, instruções para os milhares de passageiros bloqueados no estrangeiro e que deverão ser repatriados, bem como detalhes de procedimentos para o reembolso dos que tinham feito reservas.

    Vária companhias aéreas, entre as quais a British Airways, Ryanair, Easyjet e Virgin Atlantic, ofereceram-se para facilitar as viagens dos passageiros afectados.

    O terceiro maior operador turístico britânico, XL Leisure Group, declarou hoje falência e cancelou todos os voos da sua companhia aérea, deixando em terra milhares de passageiros.

    Num comunicado emitido hoje na sua página na Internet, o XL Leisure Group afirma que se colocou sob administração judicial, em resultado dos elevados preços do petróleo, do abrandamento económico e da impossibilidade de conseguir financiamentos.

    O grupo indicou que todos os voos da sua companhia aérea, a XL Airways, que voa para 50 destinos essencialmente medierrânicos, foram "imediatamente cancelados".

    Segundo o presidente do grupo, Phil Wyatt, que falava em conferência de imprensa, cerca de 67 mil clientes ficaram em terra em aeroportos britânicos e estrangeiros, enquanto a Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido indicou que perto de 200 mil pessoas tinham feito reservas no operador.

    O grupo ocupa o terceiro lugar no mercado do Reino Unido, logo a seguir à Tui Travel e ao grupo Thomas Cook.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.