Oliveirense conquista pela primeira vez Taça Hugo dos Santos em basquetebol

Oliveirense conquista pela primeira vez Taça Hugo dos Santos em basquetebol

 

Lusa/Ao online   Basquetebol   10 de Fev de 2019, 21:26

A Oliveirense conquistou este domingo pela primeira vez na sua história a Taça Hugo dos Santos em basquetebol, ao vencer na final o Benfica, por 77-70, sucedendo assim aos 'encarnados' nesta competição.

Na final que reeditou a edição de 2017/18, a Oliveirense entrou mais forte no jogo e, aos cinco minutos, levava já 11 pontos de avanço (15-4) sobre os detentores do troféu.

Os 'encarnados', que pareciam ter entrado sem alma para a quadra, evidenciaram fortes lacunas no momento da finalização, sobretudo pela mão de Xavier Grei e foram sufocados pelo contra-ataque dos comandados de Norberto Alves, bem mais concretizadores, com Thomas Thaey, com 12 pontos, a servir de exemplo para os 30-9, no final dos 10 minutos.

A ter de recuperar de 21 pontos de desvantagem, a tarefa revelou-se impossível para o Benfica, equipa que melhorou ao longo do encontro, mas o melhor que conseguiu foi estar com quatro pontos de desvantagem, a escassos quatro minutos do final do encontro.

Mas a falta de concentração e a pressão de não poder errar mais acabou por prejudicar os comandados de Arturo Alvarez.

Por sua vez, a Oliveirense soube gerir bem a almofada conseguida no primeiro parcial e viu Thomas Thaey ser o melhor elemento em campo, com 20 pontos conquistados. Aliás, este jogador foi responsável pelo 'amasso' dado aos 'encarnados', já que foi o autor de 12 dos 30 pontos nos primeiros 10 minutos.

O jogo da equipa de Oliveira de Azeméis não passou só por Thomas Thaey. Eric Coleman, com 19 pontos, foi o segundo melhor marcador da equipa, os mesmos que o benfiquista Micha Downs.

A ter de dar a volta a 21 pontos em 30 minutos, o Benfica acabou por ser refém de si mesmo. Embora tenha melhorado ao longo do encontro, não se conseguiu superiorizar aos comandados de Norberto Alves, acabando por ser fatal a escassa eficácia nos lançamentos triplos (29%), embora tenha sido muito eficaz nos lançamentos livres (94%).

Ao invés, a Oliveirense foi melhor na estratégia apresentada. Sem nunca se desmoronar defensivamente, foi anulando as iniciativas de Micha Dows, Xavier Rey. Este último, aliás, foi muito perdulário na concretização e rapidamente foi retirado do campo pelo treinador Arturo Alvarez.

A entrada de Gonçalo Delgado deu outra consistência aos ?encarnados' que passaram a errar menos à boca do cesto, ora pontuando ora conquistando faltas, situação que permitiu ao Benfica se ir aproximando da Oliveirense.

Na segunda parte, a formação de Oliveira de Azeméis entrou algo desconcentrada o que permitiu ao Benfica reduzir para nove a diferença de pontos (47-56), graças ao 22-16 no parcial, onde sobressaia Alejando Castro, com nove pontos conquistados neste período.

A ponta final do jogo foi disputada palmo a palmo. Apesar da falta de frescura física se ir notando mais para os lados da equipa da Oliveirense, esta era colmatada pela 'raça' que os jogadores colocaram em campo e nem quando estava com 'apenas' quatro pontos de vantagem as forças caíram. Foi precisamente aí que se notou ainda mais a união da equipa, acabando por vencer por 77-70.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.