Antiguidades

Oitocentas peças com valores até 30 mil euros vão a leilão


 

Lusa/AO Online   Economia   3 de Nov de 2009, 17:33

Oitocentas peças, provenientes de mais de 100 colecções de antiguidade, com valores entre os cinco e os 30 mil euros, vão a leilão no Palácio do Correio Velho.

 

Neste leilão de antiguidades, que se inicia na quarta-feira, pode encontrar-se desde pinturas, mobiliário, porcelanas orientais e europeias, faianças, pratas, moedas de ouro, armas, vidros, jóias, camafeus, marfins e registos.

"Há muitas peças abaixo dos 100 euros, jóias, moedas, pratas. Mas temos mobiliário e pintura por mais de 15 mil euros. Temos um leque enorme, há um pouco para todas bolsas", contou o administrador do Palácio Correio Velho, Luís Castelo-Branco.

As peças são provenientes de mais de 100 colecções particulares, de pessoas que, segundo Luís Castelo-Branco, "por alguma razão querem vender as peças."

"Trazem-nos a peça, fazemos a avaliação e colocamos a peça em exposição. Vai a praça por um preço a definir e depois quem quiser licita. Vende-se por outro preço. O leilão é a melhor maneira de vender, porque é o mercado que faz o preço. E é a única situação em que as pessoas discutem para vender mais", explicou Luís Castelo-Branco.

Para este leilão, o administrador do Palácio do Correio Velho espera uma adesão de cerca de 400 licitadores: "Se contarmos com os cerca de 100 licitadores que ou não vêm cá mas deixam ofertas para licitar ou licitam por telefone, podemos esperar cerca de 400 licitadores".

O Palácio do Correio Velho é uma empresa de leilões que se iniciou nesta área há 20 anos. O leilão que se inicia amanhã é o 219.º da empresa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.