Observatório Microbiano dos Açores esclarece mitos durante feira na Povoação


 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Out de 2019, 12:19

Entidades ligadas ao sector da nutrição, agricultura, segurança alimentar e centros de ciência integram esta quinta-feira a Feira de Alimentação Saudável e Sustentável que o Observatório Microbiano dos Açores (OMIC) promove na Povoação, nos Açores, esclarecendo mitos sobre os micróbios.

“Quando falamos de micróbios fazemos sempre uma associação má, porque podem provocar doenças. E tem essa verdade. No entanto, não é muito comum as pessoas pensarem que precisamos também dos microrganismos para nos mantermos saudáveis”, explicou Carolina Rodrigues, técnica superior do Observatório Microbiano, em declarações à agência Lusa.

Sediado na freguesia das Furnas, concelho da Povoação, o Observatório Microbiano dos Açores está localizado na antiga Casa de Banhos Termal - Chalé de Misturas - um dos principais pontos turísticos de São Miguel, sendo um centro de divulgação científica e tecnológica.

Carolina Rodrigues adiantou que a Feira da Alimentação Saudável e Sustentável está a decorrer até as 16:00 locais de hoje (mais uma hora em Lisboa) no Gimnodesportivo da Povoação, com vários 'stands' promovidos por entidades parceiras profissionais, da região, do sector da nutrição, agricultura, segurança alimentar e centros de ciência, com conteúdos alusivos à temática.

"Serão dinamizadas atividades que façam a consciencialização de que os microrganismos são bons para nós e que devemos introduzir na nossa vida e na nossa dieta diária e saber quais os que devemos evitar", sustentou, acrescentando que a feira tem também o intuito de celebrar o Dia Mundial da Alimentação, que se comemorou na quarta-feira.

"Não era possível fazermos queijo, nem pão, sem a ajuda de microrganismos", exemplificou, frisando: "Há todo um leque de seres vivos que contribuem para a nossa saúde, mas também aqueles que contribuem para as nossas doenças".

"E é graças à diversidade dos parceiros presentes na feira que iremos conseguir colmatar essas informações", sublinhou ainda.

Tendo como tema principal os microrganismos, a feira pretende também "inspirar as jovens mentes para carreiras profissionais relacionadas com as ciências".

"O OMIC pretende estimular o interesse pela ciência e tecnologia, tornando-a acessível ao grande público e em particular aos jovens, uma vez que constitui apoio didático aos programas escolares, além de ser oferta turística da região", reforçou Carolina Rodrigues.

A feira, destinada ao público em geral e, em particular, a grupos de educação do 3.º ciclo do ensino básico e do secundário, será complementada com uma encenação de um grupo de teatro para cimentar os conhecimentos adquiridos ao longo da iniciativa de um modo holístico.

O evento apoiado pela Direção Regional de Ciência e Tecnologia visa também evidenciar a importância da devida higienização dos espaços e produtos alimentares para confeção de alimentos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.