Obrigatórios testes para despiste de SIDA antes de casamento

Obrigatórios testes para despiste de SIDA antes de casamento

 

Lusa/AO Online   Internacional   19 de Dez de 2008, 09:41

 - Os noivos muçulmanos vão ser obrigados a efectuar o teste da SIDA antes de se casarem, anunciou hoje o vice-primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, depois de reconhecer que o número de mulheres casadas afectadas pela doença aumentou "consideravelmente".

   "No próximo ano, será necessário efectuar uma análise para detecção do vírus (HIV, vírus da imunodeficiência humana) como parte do processo pré-matrimonial", afirmou Razak ao sair de uma reunião na qual foi analisada a situação da SIDA (síndrome da imunodeficiência adquirida) no país.

    O teste já é obrigatório para os seguidores desta religião em várias zonas do país, como em Johor, Kelantan, Negri Sembilan, Sa-bah, Sarawak e Selangor, segundo o diário malaio New Strait Times.

    As estatísticas oficiais indicam que o número de infecções entre mulheres casadas e monógamas disparou no último ano, o que indica que adquiriram o vírus dos seus maridos.

    A medida foi criticada pela organização não governamental Conselho Anti-Sida da Malásia, cujo presidente, Adeeba Kamarulzaman, a qualificou de "alarmista".

    Em contrapartida alguns cidadãos receberam a notícia com agrado.

    "Se vou viver com alguém gostaria de saber se essa pessoa está infectada, e não me sentiria ofendida se me pedissem que fizesse a análise", afirmou ao diário malaio Anis Abdullah, uma solteira de 30 anos.

    A Malásia poderá ter 300.000 pessoas infectadas com o HIV antes de 2015 se continuar a tendência actual, segundo o Ministério da Saúde.

    O aumento do número de contágios por HIV na Malásia aumentou de 1,2 por cento por ano, em 1990 para 16 por cento, em Dezembro de 2007.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.