Médio Oriente

Negociações directas Fatah-Hamas a 25 de Outubro no Cairo


 

Lusa/AOonline   Internacional   9 de Out de 2008, 11:29

A Fatah e o Hamas vão reunir-se a 25 de Outubro no Cairo para negociações directas com vista à reconciliação entre as duas organizações palestinianas rivais, anunciou um dirigente do Hamas.
"A Fatah e o Hamas vão encontrar-se a 25 de Outubro no Cairo para tentarem ultrapassar diferenças com vista a uma reconciliação com a mediação do Egipto", declarou Mahmud al-Zahar, dirigente do Hamas na Faixa de Gaza.

    Este responsável participou quarta-feira em conversações no Cairo com o chefe dos serviços de informações egípcios, Omar Suleiman, que nas últimas semanas se reuniu com uma dezena de facções palestinianas, nomeadamente a Fatah, do presidente Mahmud Abbas.

    O Egipto está a mediar, desde Agosto, os contactos entre as duas organizações rivais para resolver a crise desencadeada com a tomada pela força da Faixa de Gaza pelo Hamas em Junho de 2007.

    A mediação egípcia propôs a criação de um novo governo, aprovado por todas as facções palestinianas, a reestruturação dos serviços de segurança e a convocação de novas eleições legislativas.

    A Fatah quer que as conversações conduzam à formação de um governo de consenso que prepare novas eleições, presidenciais e legislativas, mas o Hamas, que tem maioria no parlamento palestiniano desde as legislativas de Janeiro de 2006, defende que só devem realizar-se novas eleições presidenciais.

    O mandato do Presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas, termina a 08 de Janeiro de 2009.

    Numa resolução aprovada segunda-feira, os deputados do Hamas exigem a realização de eleições presidenciais dentro de três meses. A resolução afirma também que o Hamas deixará de reconhecer Abbas como presidente a partir de 08 de Janeiro e, se não houver eleições, procederá à sua substituição por um dos seus dirigentes.

    A crise entre a Fatah e o Hamas remonta a Junho de 2007, quando o Hamas tomou pela força a Faixa de Gaza. Na sequência disso, Mahmud Abbas dissolveu o governo do Hamas e formou um novo executivo em que não participa qualquer membro daquele movimento radical.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.