Açoriano Oriental
NAV há "sensivelmente" um ano à espera de autorizações das Finanças

 O presidente da NAV, Manuel Teixeira Rolo, afirmou esta sexta feira que está à espera há "sensivelmente" um ano de autorizações das Finanças para despesas e contratações na empresa.


Autor: AO Online/ Lusa

"A NAV definiu bem as prioridades que precisava, já com o levantamento das necessidades com o esforço que estava a ser pedido. Faz parte do nosso plano, faz parte inclusivamente das solicitações que fizemos de IPGs [Instrumentos Provisionais de Gestão] para o futuro, e portanto estamos a aguardar que tenham a sua aprovação", disse o general Manuel Teixeira Rolo aos jornalistas, no final de uma visita às instalações da NAV, no âmbito do vigésimo aniversário da empresa que gere o controlo de tráfego aéreo.

Quando questionado se a espera por uma decisão do gabinete do ministro das Finanças Mário Centeno durava há um ano, o responsável da NAV afirmou que "sensivelmente" era esse o tempo de espera, acrescentando que "é isso que está a causar este esforço significativo daqueles que estão neste momento em ação".

"O que solicitámos para o ano de 2019 ainda não foi solicitado, e também já solicitámos para o ano de 2020", afirmou.

Em novembro, o projeto para aumentar a capacidade aeroportuária de Lisboa dos atuais 44 para até 72 movimentos por hora foi aprovado, depois de um acordo com a Força Aérea e a ANAC (Autoridade Nacional da Aviação Civil).

Ladeado pelo secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda, o responsável máximo da NAV, empresa pública, afirmou que, se os instrumentos de gestão "forem aprovados, em princípio" a NAV terá "os recursos necessários".

"Aqui a questão não é ter recursos a mais. É ter recursos para compensar a saída daqueles [controladores] que atingem o escalão etário e não podem continuar na atividade operacional, e depois responder àquilo que está a ser o aumento significativo de tráfego nas diferentes vertentes", acrescentou Manuel Teixeira Rolo.

O antigo chefe do Estado-Maior da Força Aérea afirmou que se trata de uma média de 24 controladores aéreos por ano que é necessário substituir.

Entre os projetos correntes da NAV, Manuel Teixeira Rolo destacou a nova torre de controlo de Lisboa, cujo caderno de encargos "está para ser lançado".

"Se tudo correr bem, nós esperamos que em 2022 ou 2023 a torre possa estar construída na localização que já está definida", afirmou o presidente da NAV.

O responsável fez ainda menção à torre de controlo da Madeira, de Cascais, a preparação para a instalação do sistema de gestão do espaço aéreo TopSky em 2022, o que inclui a renovação total das duas salas de controlo, tanto na ilha de Santa Maria (Açores) como em Lisboa.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.