Não podemos adormecer perante desrespeito pela dignidade humana

Não podemos adormecer perante desrespeito pela dignidade humana

 

Lusa/AO Online   Nacional   3 de Dez de 2013, 15:44

O Patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, defendeu esta terça-feira que não podemos adormecer nem nos podemos habituar a situações "muito repetidas" de desrespeito pela dignidade humana que põem em causa a humanidade.

 

O Patriarca de Lisboa, que falava à Lusa à margem de uma conferência na Universidade Católica, comentou desta forma a recente exortação do Papa Francisco, onde este criticava o capitalismo selvagem e alertava para o perigo das desigualdades e da injustiça social levarem a uma explosão da violência.

"No que diz respeito à sociedade, o papa Francisco tem encontrado palavras muito justas e muito claras para meter o dedo em muitas feridas que a nossa sociedade manifesta, não só dentro dos países que nos tocam mais de perto, mas entre países ricos e países pobres, de muito desrespeito pela dignidade humana", disse Manuel Clemente.

Para o Patriarca de Lisboa, "parece que adormecemos em relação a situações que não podemos manter" e só "acordamos quando há uma Lampedusa em que morre muita gente a tentar chegar à Europa."

"Situações desse género são muito repetidas e não nos podemos habituar a elas. Porque estando em causa a humanidade dos outros está em causa a nossa própria humanidade e se adormecemos aí, depois também adormecemos aqui", sublinhou Manuel Clemente.

O Patriarca de Lisboa disse ainda à agência Lusa que o inquérito da Igreja Católica, destinado a conhecer a realidade familiar na atualidade, está a correr "muito bem", tendo já sido respondido só na Diocese de Lisboa por cerca de 10 mil pessoas.

"Na Diocese de Lisboa [o inquérito] está a correr muito bem e até a exceder as expectativas. A última vez que tive informação as respostas já rondavam as 10 mil e sempre a subir, o que é muito interessante porque para qualquer sondagem respostas desse número já são muito indicativas", disse Manuel Clemente à agência Lusa.

O inquérito pode ser pode ser respondido “online” até 08 de dezembro, através da página na Internet do Patriarcado de Lisboa.

O Vaticano enviou às conferências episcopais de todo o mundo uma consulta mundial sobre as novas realidades da vida familiar, abordando questões como o divórcio ou o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Os resultados do inquérito servirão de base à preparação da assembleia geral extraordinária do Sínodo dos Bispos, que vai decorrer em Roma, de 05 a 19 de outubro de 2014, sob o tema "Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.