"Não há nenhuma data definida" para privatizar a TAP

"Não há nenhuma data definida" para privatizar a TAP

 

Lusa/AOonline   Economia   10 de Nov de 2008, 17:52

O ministro das Obras Públicas disse que não há qualquer data definida para a privatização da TAP, contrariando assim o Ministério das Finanças, que coloca aquela companhia aérea no lote de empresas a privatizar em 2009.
“Não há nenhuma data fixada para isso”, afirmou Mário Lino, depois de questionado pelos jornalistas sobre o ponto de situação da privatização da TAP.

    As declarações do ministro das Obras Públicas foram feitas, no Parlamento, à saída da reunião das comissões de Orçamento e Finanças e de Obras Públicas, onde o governante esteve a apresentar aos deputados a proposta de Orçamento do seu ministério para 2009.

    Mário Lino defendeu que as privatizações “devem ser feitas no tempo oportuno”.

    A 15 de Outubro, numa conferência de imprensa de apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2009, o ministro das Finanças adiantou que o Governo prevê arrecadar 1.200 milhões de euros de receitas de privatizações no próximo ano, tendo o secretário de Estado do Tesouro e Finanças, Carlos Costa Pina, adiantado que do programa fazem parte as empresas cuja privatização está prevista no programa plurianual de privatizações e que ainda não tinham avançado.

    O próprio secretário de Estado elencou a Galp, a ANA, a TAP e a Inapa, como empresas objecto de privatização e que explicariam aquela previsão de 1.200 milhões de euros.

    No relatório do Orçamento do Estado para 2009, pode ler-se, porém, que as operações de privatização serão feitas "sem prejuízo da adequação temporal da sua execução às condições de mercado".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.