MPT quer transformar a região num "arquipélago ecológico"


 

Lusa / AO Online   Regional   19 de Set de 2008, 14:41

O Movimento Partido da Terra (MPT) defendeu hoje a necessidade de transformar os Açores num “arquipélago ecológico”, alegando que o Ambiente está na base do desenvolvimento social e económico da região autónoma.
    “A prioridade é, claramente, tornar a região num arquipélago ecológico, o que é a pedra de toque para tudo o resto”, afirmou o cabeça-de-lista do MPT pela ilha de São Miguel às eleições regionais de 19 de Outubro.

    Em conferência de imprensa para apresentação do Programa Eleitoral, Manuel Moniz adiantou que, nos Açores, existem leis na área ambiental “para tudo e mais alguma coisa”, mas falta a “paixão” por este sector.

    “Não vemos no Governo Regional nem nos partidos da oposição e, infelizmente, por parte de uma grande parte da população, qualquer sensibilidade verdadeira em relação ao Ambiente”, reconheceu.

    Manuel Moniz preconizou, ainda, uma “nova fase de transparência governativa” através de uma abertura do executivo regional à comunicação social, assim como uma desburocratização da Administração Pública.

    Na Saúde, o candidato do MPT, que também encabeça a lista pelo círculo regional de compensação, defendeu a necessidade de “arranjar mais médicos dos Açores”.

    “A nossa estratégia passa por ir buscá-los aos bancos das escolas”, explicou Manuel Moniz, que quer que a região autónoma assuma os custos da formação no estrangeiro dos “jovens com vocação” para a medicina.

    Quanto à Agricultura, o cabeça-de-lista considerou ser “vergonhosa” a concentração de propriedades em “pouquíssimos latifundiários”, quando a estratégia deve ser que “cada açoriano tenha o seu pedaço de terra”.

    “Nós entendemos que, para ser açoriano, tem de se ter terra”, alegou Manuel Moniz, para quem a “grande propriedade nos Açores devia ser quase abolida”.

    O programa do MPT avança, ainda, com medidas que “cortem com o ciclo vicioso de dar dinheiro”, no âmbito do Rendimento Social de Inserção, uma prestação social que considerou, porém, positiva.

    Para isso, é “preciso dar um meio de produção a todas as famílias que auferem o RSI, para que possam, com o seu trabalho, ir buscar os rendimentos que lhes faltam”, disse.

    No caso dos Açores, “isso só se consegue dando terrenos às pessoas”, considerou o candidato do MPT, ao preconizar que a região tem “investir rapidamente na aquisição de uma bolsa de terrenos em redor das freguesias rurais” das ilhas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.