Mira Mar conquista Taça de Honra da AFPD

Mira Mar conquista Taça de Honra da AFPD

 

Arthur Melo   Futebol   11 de Nov de 2007, 21:02

O Mira Mar conquistou a Taça de Honra da Associação de Futebol de Ponta Delgada, ao vencer, na final, o Marítimo por 3-1, no desempate do pontapé da marca das grandes penalidades

O nulo persistiu no final dos 90 minutos regulamentares e na meia hora do prolongamento, ficando-se a conhecer o vencedor na lotaria dos penalties, altura em que os povoacenses mostraram mais frieza e eficácia na hora de rematar dos 11 metros de distância.

Dizer-se que o Mira Mar é um justo vencedor do troféu não choca ninguém e também não chocaria se o Marítimo tivesse sido o vencedor.

De facto, as duas equipas - as melhores apetrechadas e aquelas que vão lutar, entre si, pela conquista do título no Campeonato de São Miguel - bateram-se de igual para igual, sem receios e tendo sempre a baliza adversária como principal destino.

Todavia, e mormente no decorrer do primeiro tempo, o jogo foi muito mastigado a meio campo e apenas duas ocasiões de golo surgiram nesta altura: aos 16 minutos, Narciso (que entrara para o lugar do lesionado Ivo) deslumbrou-se na cara de Bruno; aos 43, Telézinho, por duas ocasiões, quase marcava mas Diogo, com uma grande defesa e Amaral, a cortar em cima da linha de golo, evitaram o pior.

Após o descanso, o jogo abriu-se mais, por via do despovoamento do miolo do terreno e tanto Mira Mar como Marítimo poderiam ter chegado ao golo. Todavia, os remates ou eram mal direccionados ou, então, os guarda-redes mostravam serviço, mais Diogo, que não teve tarde muito fácil a este respeito.

No final do tempo regulamentar o nulo continuava e, na meia hora a que se seguiu, o receio de sofrer um golo toldou o engenho aos jogadores de ambas as equipas, pelo que a decisão teve de ser encontrada da marca dos 11 metros.

Berto começou bem, tal como Rui Maciel mas, depois, Luís Ferreira possibilitou a defesa de Diogo. Displicente, Ruben Vitória enjeitou a hipótese de colocar o Marítimo na frente, ao atirar ao lado, aproveitando melhor Félix para dar início aos festejos povoacenses. Narciso não fez melhor, tal como Caniggia e Nuno, cabendo a Alexandre detonar a explosão de alegria do Mira Mar que iniciou a festa em Água de Pau e terminou-a na Povoação.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.