Crise Financeira

Ministros analisam impacto da crise em África


 

Lusa/AOonline   Economia   11 de Nov de 2008, 11:10

Ministros das finanças e governadores de bancos centrais africanos reúnem-se na quarta-feira em Tunes, capital da Tunísia, para avaliarem o impacto da crise financeira internacional no continente mais pobre
    A cimeira é organizada pelo Banco Africano para o Desenvolvimento (BAfD) e vai debruçar-se sobre as consequências da crise financeira nas economias africanas e na ajuda pública ao desevolvimento.

    A queda do preço das matérias-primas africanas e a resposta continental à crise são outros dos pontos na agenda da cimeira, que tem o apoio da União Africana e da Comissão Económica para a África das Nações Unidas.

    Do espaço lusófono africano estão garantidas as presenças de representantes de Moçambique, São Tomé e Príncipe e da Guiné-Bissau numa reunião que será dominada pela participação da maior economia do continente, através do minstro das Finanças da África do Sul, Trevor Manuel.

    Fortemente dependentes da ajuda externa, que, por vezes, como no caso de Moçambique, inclui até o apoio financeiro directo ao Orçamento de Estado, muitos países africanos receiam que a crise no Ocidente e nas potências emergentes asiáticas resulte na redução da solidariedade internacional.

    "As pressões orçamentais engendradas pelos planos de recuperação, colocadas em prática nos países desenvolvidos, podem resultar na contração do volume da ajuda pública ao desenvolvimento", alertou recentemente o presidente do BAfD, Donal Kaberuka.

    O mesmo responsável advertiu para o cenário de despedimentos em massa e de maior dureza nas leis anti-imigração nos países desenvolvidos tendo como consequência menores transferências de remessas por parte dos trabalhadores emigrantes africanos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.