Ministério da educação e sindicatos retomam negociações sobre revisão do sistema de avaliação de professores


 

Lusa/AO On line   Nacional   25 de Nov de 2009, 05:54

Sindicatos e Ministério da Educação (ME) retomam hoje o processo negocial para a revisão da carreira docente encetado na anterior legislatura, sem que tenha sido possível chegar a acordo, e após a aprovação parlamentar de uma recomendação ao Governo.

A Federação Nacional dos Professores (FENPROF) e a Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE) manifestam-se disponíveis para dialogar, mas já fizeram saber que não abrem mão do fim da divisão da carreira em duas categorias - professor e professor titular.

A FENPROF vai apresentar a proposta que defendeu com a anterior equipa ministerial por considerar que se mantém actual, mas admite que é uma base para a negociação, esperando para avaliar o que vai propor o ME.

Entre as reivindicações da FENPROF estiveram sempre presentes o fim das quotas na avaliação para progressão na carreira, a revogação da prova de ingresso na profissão, a alteração dos critérios de organização dos horários dos professores, a contagem integral do tempo de serviço ou a alteração dos requisitos para aposentação.

Também a FNE pretende a eliminação das quotas para as classificações mais elevadas, defendendo que a qualidade da componente cientifico-pedagógica é que deve determinar o ritmo de progressão na carreira, sem constrangimentos de ordem administrativa ou economicista.

Esta será a primeira reunião depois de a Assembleia da República ter aprovado o projecto de resolução do PSD a recomendar ao Governo o fim da divisão da carreira docente, além da criação de um novo modelo de avaliação no prazo de 30 dias.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.