Eleições no PSD

Marques Mendes acusa Menezes de baixar o nível do debate

Marques Mendes acusa Menezes de baixar o nível do debate

 

Lusa / AO online   Nacional   26 de Set de 2007, 06:32

O candidato a líder do PSD Marques Mendes acusou o seu adversário nas eleições directas de sexta-feira de "baixar" o nível do debate dentro do partido para o "plano do insulto, da chantagem e da mentira".
"Quem quer ser líder do PSD não pode baixar a este nível, não pode ter este tipo de comportamento e de linguagem. Se algumas dúvidas existissem, elas dissiparam-se a partir de hoje. Quem se comporta desta forma não pode ser líder do PSD", afirmou Marques Mendes à entrada para um reunião com militantes em Vila Real.

Luís Filipe Menezes acusou Marques Mendes de ser "um pequeno tirano", que "não tem estatura política e principalmente ética" para liderar o partido.

"O meu adversário, que tanto usa a palavra credibilidade, demonstrou ao longo dos dois últimos meses que não tem estatura política e principalmente ética para continuar a liderar o PSD. Comportou-se como um pequeno tirano, recusou todas as regras", acusou Luís Filipe Menezes, numa conferência de imprensa realizada num hotel em Lisboa.

As acusações de Luís Filipe Menezes estenderam-se igualmente ao secretário-geral do partido, Miguel Macedo, e ao presidente do Conselho de Jurisdição Nacional, Guilherme Silva, que classificou como "militantes pouco escrupulosos".

Luís Marques Mendes devolveu as críticas a Menezes acusando-o de querer "impor as suas regras, as suas chantagens e as suas ameaças".

"Eu acho isto inaceitável para os militantes, imagem e, sobretudo, para o bom nome do partido", afirmou.

As declarações de Marques Mendes antecederam uma reunião como militantes em Vila Real, tendo-se recusado a responder a questões dos jornalistas.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.