Marcelo Rebelo de Sousa recusa ser candidato de facção à liderança do partido


 

Lusa   Nacional   1 de Nov de 2009, 20:08

Marcelo Rebelo de Sousa considerou hoje que os "barões" do PSD "optaram pela luta de facções" em detrimento da unidade do partido pelo que mantém a recusa em ser candidato à liderança dos sociais-democratas.
"Não vejo nenhuma razão para alterar aquilo que disse há uma semana", quando admitiu ser candidato se existisse consenso depois de um debate e da procura de consenso interno, disse Marcelo Rebelo de Sousa no programa da RTP "As Escolhas de Marcelo".

"A questão não é ser candidato. É não haver unidade", acrescentou.

Segundo explicou, as movimentações desta semana, com as declarações de apoio ao seu nome ou ao de Pedro Passos Coelho para a liderança do partido, foram "uma luta de facções" contrária "à unidade" que defende.

"Foi uma semana pouco feliz para o PSD", considerou, acrescentando que esta "guerra de nomes" fez com que "as notícias sobre o PSD não sejam sobre o seu protagonismo (como oposição) mas sobre a guerra de nomes" para a liderança.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.