Mais de 80 por cento das bacias hidrográficas com armazenamento inferior à média


 

lusa   Nacional   20 de Dez de 2009, 13:55

Mais de 80 por cento das bacias hidrográficas portuguesas registam uma quantidade de água armazenada inferior à média para esta altura do ano, sendo que pelo menos três registam diferenças superiores a 20 pontos percentuais.

De acordo com dados do Instituto da Água (Inag), no último dia do mês de Novembro, apenas duas bacias (Ave e Cávado) registavam valores superiores às médias de armazenamento de Novembro (90/91 a 08/09), enquanto as restantes apresentavam valores inferiores.

A bacia hidrográfica do Sado regista 20,9 por cento de volume armazenado, quando a média nesta altura ronda os 47,2 por cento (menos 26,3 pontos percentuais), enquanto a bacia do Arade apresenta 14,1 por cento contra os habituais 37,2 (menos 23.1).

Já a bacia hidrográfica do Oeste registava no final do mês passado 32,6 por cento, quando a média dos últimos 20 anos é de 55,1 por cento (menos 22,5 pontos percentuais).

No entanto, segundo o Inag, no último dia de Novembro e por comparação com o último dia de Outubro verificou-se um aumento do volume armazenado em seis bacias e uma descida nas restantes seis.

Das 56 albufeiras monitorizadas, cinco apresentam disponibilidades hídricas acima dos 80 por cento do volume total e 23 têm disponibilidades inferiores a 40 por cento do volume total.

Por exemplo, as albufeiras de Campilhas (Sado) e Divor (Tejo) apresentavam no final de Novembro apenas 2,5 e 4,0 por cento, respectivamente, da capacidade total de armazenamento de água.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.