Saúde

Mais de 20 mil portugueses morrem por ano vítimas de AVC

Mais de 20 mil portugueses morrem por ano vítimas de AVC

 

Lusa/AOonline   Nacional   24 de Out de 2008, 11:27

Vinte mil pessoas, quase 200 por 100 mil habitantes, morrem anualmente em Portugal vítimas de acidente vascular cerebral (AVC), uma taxa superior à da média da União Europeia, disse à Lusa o presidente da Sociedade Portuguesa de Aterosclerose.
"Por AVC temos uma mortalidade que deve andar à volta de 190 a 200 doentes por 100 mil habitantes, o que é um número elevado em relação à maioria dos países da União Europeia", disse o presidente da Sociedade Portuguesa de Aterosclerose, no âmbito do Congresso de Aterosclerose que decorre esta sexta-feira e sábado em Vilamoura.

    O professor e médico Espiga de Macedo referiu que, por ano, Portugal regista "20 mil ou mais doentes a morrerem de doença vascular cerebral", números elevados em relação à média da União Europeia, mas não em relação aos últimos países que aderiram à UE, os chamados países de Leste, admite.

    A aterosclerose (envelhecimento das artérias) é uma doença silenciosa que ocorre no interior das paredes das artérias onde se desenvolvem placas ateroscleróticas, uma combinação de "colesterol e outras matérias gordas", "cálcio" e "componentes do próprio sangue" que provocam espessamento e perda de elasticidade das artérias, podendo causar problemas de saúde graves, segundo Espiga de Macedo.

    Para combater esta doença, que envelhece as veias, a Sociedade Portuguesa de Aterosclerose alerta para que as pessoas "acreditem nos conselhos dos médicos" e "sigam os tratamentos médicos", além de corrigirem a dieta (sem gorduras e fritos) e praticarem exercício físico.

    A formação de placas ateroscleróticas pode ser combatida através da diminuição da ingestão de gorduras, carne e sal e com o aumento do consumo de peixe, leguminosas, frutas e vegetais.

    Reduzir o consumo de álcool, controlar o stress e os níveis de hipertensão arterial, deixar de fumar e praticar exercício são outras formas de prevenir a aterosclerose.

    A tensão arterial e o colesterol altos, a obesidade, o tabaco e a vida sedentária são alguns dos factores que contribuem para o desenvolvimento da aterosclerose e que acabarão também por contribuir para que uma pessoa tenha um acidente cardíaco ou cerebral ou um problema de circulação periférico, alerta Espiga de Macedo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.