Maioria dos portugueses acha que as outras nacionalidades enriquecem o país


 

Lusa / AO online   Nacional   4 de Dez de 2007, 14:51

A maioria dos portugueses (61 por cento) considera que o contributo de pessoas de outros países enriquece a vida cultural do país, segundo uma sondagem divulgada esta terça-feira, em Bruxelas, no âmbito do Ano Europeu do Diálogo Intercultural 2008.
No entanto, os portugueses estão abaixo dos 72 por cento de média da União Europeia (UE) no que respeita ao contributo positivo que pessoas com outro enquadramento cultural podem dar ao seu país.

Por outro lado, 89 por cento dos portugueses defendem que é benéfico o contacto intercultural dos jovens, um valor acima dos 83 por cento da média dos 27.

Questionados sobre se na última semana tiveram alguma interacção com pessoas de um país fora da UE, 40 por cento dos portugueses responderam afirmativamente, um valor acima da média europeia de 36 por cento.

Por outro lado, uma minoria de portugueses (28 por cento) diz ter contactado na última semana pessoas de outra religião, sendo a média dos 27 de 44 por cento.

O Eurobarómetro revela ainda que 27 por cento dos portugueses associam a expressão "diálogo intercultural na Europa" à comunicação entre diferentes comunidades, enquanto 12 por cento a associam ao convívio entre diferentes culturas.

A sondagem Euobarómetro foi realizada entre 13 e 17 de Novembro, tendo sido questionados aleatoriamente cerca de 27 mil cidadãos da UE com mais de 15 anos, através de entrevistas telefónicas.

Em Portugal o universo foi de cerca de mil pessoas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.