Açoriano Oriental
Neste ano letivo
Linha S.O.S. Criança aposta na prevenção junto de alunos do 3º ciclo da Região

O Instituto de Apoio à Criança nos Açores, vai retomar as sessões de divulgação da Linha S.O.S. Criança, nas escolas Básicas/Integradas e secundárias da ilha de São Miguel, bem como irá alargar, este ano letivo, às restantes ilhas do Arquipélago.



article.title

Foto: IAC Açores
Autor: Susete Rodrigues/AO Online

No presente ano letivo, irá ser dado enfoque às turmas do 3º ciclo isto porque, “após avaliações consecutivas sobre o impacto/resultados obtidos junto deste grupo-alvo, concluiu-se que esta faixa etária da pré-adolescência e adolescência (crianças entre os 12 e os 16 anos) estaria mais a descoberto deste tipo de abordagem”, refere nota de imprensa.


O principal objetivo, “prende-se com a promoção da participação ativa destes adolescentes e jovens perante toda e qualquer situação que lhes diga respeito, e acima de tudo que conheçam os meios de que dispõem para agir em situações em que sintam que, de alguma forma, os seus direitos não lhes estejam a ser devidamente assegurados”.


A promoção da participação e do envolvimento destes pré-adolescentes e adolescentes em determinados assuntos, quer sejam da esfera pessoal, familiar, e comunitária, “torna-se cada vez mais necessária na medida em que este é um passo fundamental no alcance do seu desenvolvimento enquanto cidadãos ativos e participativos e também enquanto agentes da sua própria mudança”, diz o comunicado do IAC-Açores.


Para tal, o IAC-Açores pretende realizar, junto deste público, uma intervenção de carácter preventivo e reativo porque “para além de fomentarmos o conhecimento necessário para que possam estar prevenidos, atentos e sensibilizados para determinadas situações,


Refira-se que a Linha S.O.S. Criança existe nos Açores desde 1993. Este serviço do Instituto de Apoio à Criança – Açores, apesar de sedeado na ilha de São Miguel, estende toda a sua atuação pelas restantes ilhas.


A Linha S.O.S. Criança é um serviço de carácter anónimo e confidencial que permite às crianças, adolescentes e jovens, que estejam numa situação de vulnerabilidade, a sua auscultação num ambiente considerado seguro e protegido.


Por se tratar de um serviço de atendimento público, é dirigido também às famílias, a profissionais e a todas as pessoas que partilhem do interesse de salvaguardar o bem-estar de todas as crianças, bem como aos que demonstrem motivação perante todo e qualquer assunto relacionado com a temática da infância e juventude.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.