Açoriano Oriental
Covid-19
Líder do Governo açoriano confiante na "honorabilidade" de suspeitos de vacinação indevida

O presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, manifestou-se confiante na “honorabilidade” das pessoas e instituições, referindo-se ao processo de vacinação contra a Covid-19 nos lares de idosos na região, alvo de suspeitas de situações irregulares.

Líder do Governo açoriano confiante na "honorabilidade" de suspeitos de vacinação indevida

Autor: Lusa/AO Online

“Se é verdade que são levantadas suspeitas, a inquirição é feita e os resultados serão, com certeza, conhecidos e reconhecidos, mas não tenho dúvidas. Como pessoa de bem, quer do ponto de vista pessoal, quer do ponto de vista institucional, o meu pressuposto é da confiança na honorabilidade e na honestidade das pessoas em concreto e da instituição no seu todo”, afirmou.

José Manuel Bolieiro falava, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, à saída de uma reunião com a direção da União Regional de Misericórdias dos Açores (URMA).

A Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, cujo provedor, Bento Barcelos, é presidente da URMA, foi uma das instituições alvo de suspeitas de vacinação indevida no arranque do processo de vacinação contra a Covid-19 nos Açores, que teve início pelos lares de idosos, em dezembro de 2020.

Questionado pelos jornalistas, à saída da reunião com Bento Barcelos, o presidente do executivo açoriano disse que o tema não foi discutido neste encontro, mas declarou, “como pressuposto”, a sua “confiança na honorabilidade das pessoas e das instituições”.

O Governo Regional, de coligação PSD/CDS-PP/PPM, determinou, no início de fevereiro, a realização de uma ação inspetiva ao processo de vacinação contra a covid-19 nos Açores, depois de terem surgido notícias que davam conta de suspeitas de irregularidades em algumas instituições, mas ainda não são conhecidas as conclusões desse trabalho.

Entre as instituições sobre as quais recaíram suspeitas de vacinação de pessoas que não pertenciam ao grupo prioritário de vacinação estava a Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo, mas o seu provedor, Bento Barcelos, rejeitou já por várias vezes que tenha ocorrido qualquer caso de vacinação indevida na instituição.

Na sequência dessas suspeitas, a vice-provedora da Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo acabou por suspender funções e demitir-se do cargo de diretora regional para a Promoção da Igualdade e Inclusão Social, para o qual tinha sido entretanto nomeada.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados