Açoriano Oriental
Imigrantes detidos nos Açores recebem informação para minimizar reincidências
A Associação dos Imigrantes nos Açores (AIPA) vai promover, a 26 de outubro, uma sessão de informação com imigrantes detidos na cadeia de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, para minimizar eventuais reincidências, foi hoje anunciado.
Imigrantes detidos nos Açores recebem informação para minimizar reincidências

Autor: Lusa / AO online

 

“O objetivo central desta iniciativa é informar os cidadãos imigrantes detidos dos seus deveres e ao mesmo tempo apoiar, já pensando na reintegração, no sentido de minimizar as hipóteses de reincidência”, afirmou o presidente da AIPA, Paulo Mendes, em declarações à agência Lusa.

No estabelecimento prisional de Ponta Delgada estão, atualmente, 206 reclusos no total, sendo que “menos de dez são cidadãos imigrantes” adiantou à Lusa fonte da cadeia, acrescentando que “só nos últimos dois meses entraram vários reclusos imigrantes oriundos de Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP)”.

Para Paulo Mendes, apesar de a AIPA já desenvolver um “trabalho menos visível” com a cadeia de Ponta Delgada esta será “a primeira sessão de informação mais sistematizada” que a Associação realizará, com o intuito de dar, também, algum apoio psicológico a estes reclusos, uma vez que muitas destas pessoas não têm familiares na ilha.

Sem revelar o tipo de crimes por que foram detidos estes imigrantes, Paulo Mendes adiantou que este “trabalho de proximidade” será replicado no estabelecimento prisional de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, onde a AIPA também dispõe de um núcleo.

Segundo o responsável, a sessão informativa vai contar com a presença de dois técnicos da associação, que vão falar de deveres e de direitos, bem como informar os imigrantes detidos sobre o tipo de rede e instituições que poderão contactar quando saírem em liberdade para se reintegrarem socialmente.

“Se ser imigrante muitas vezes já é complicado, obviamente, que quando acrescentamos em cima disso a reclusão e depois a saída a nossa experiência, objetivamente, diz que as dificuldades de integração aumentam ainda mais”, considerou o presidente da AIPA.

Nos Açores residem atualmente 3.361 imigrantes de 60 nacionalidades, com destaque para os brasileiros (521 pessoas), os alemães (385), os chineses (304) e cabo verdianos (266), entre outras.

Paulo Mendes explicou que o universo de imigrantes a residir no arquipélago já foi maior, mas nos últimos quatro a cinco anos houve um conjunto de cidadãos que obteve a nacionalidade portuguesa, deixando de figurar nas listagens do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

A Associação dos Imigrantes nos Açores, criada em 2003 e com centros de atendimento em Ponta Delgada e Angra do Heroísmo, tem 1.200 associados.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.