IEFP e IST "aliam-se" para investigação e formação na aeronáutica


 

Lusa/AO Online   Nacional   20 de Nov de 2013, 09:20

Os institutos do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e Superior Técnico (IST) vão colaborar na formação e na investigação nas áreas aeroespacial e mecânica, numa parceria ligada à Embraer e ao "cluster" aeronáutico de Évora.

 

“Queremos ser uma plataforma para a transferência de conhecimento e tecnologia e dos resultados da investigação e desenvolvimento entre o ensino superior e as necessidades práticas das empresas”, explicou hoje à agência Lusa José Palma Rita, delegado do Alentejo do IEFP.

A parceria, já formalizada, é centrada nos polos de formação de Évora e Setúbal do IEFP, que têm formado mão-de-obra especializada para as duas fábricas da construtora aeronáutica brasileira Embraer, na cidade alentejana, assim como para outras empresas fornecedoras de componentes.

“É um projeto pioneiro a nível nacional do ponto de vista do IEFP e vai enriquecer a qualidade da nossa formação profissional”, sendo também uma mais-valia “para projetos de investigação desenvolvidos pelo IST”, instituição de ensino superior situada em Lisboa e que já tinha um acordo prévio com a Embraer, disse Palma Rita.

A cooperação prevê que mestrandos, doutorandos e outros investigadores daquela instituição de ensino superior possam utilizar instalações do IEFP, nomeadamente o polo tecnológico de Évora, para ensaios práticos.

“Neste polo tecnológico temos equipamentos de topo virados para a produção industrial e aeronáutica, iguais aos da Embraer, mas a empresa tem uma linha de produção em funcionamento. Por isso, com a parceria, os investigadores podem fazer no IEFP todos esses ensaios ligados a projetos de investigação”, afirmou.

Ao mesmo tempo, essa interação com investigadores do IST vai contribuir para “melhorar a formação do IEFP”, pois, “os resultados das investigações vão ser incorporados nos currículos e vão ajudar a melhorar equipamentos”.

“Os investigadores vão fazer formações dirigidas aos nossos formandos e formadores, pelo que vamos ter contacto direto com o que de melhor se faz nos campos da aeronáutica e dos processos produtivos”, destacou José Palma Rita.

O projeto, segundo o IEFP, insere-se “no quadro das preocupações comuns de incremento à empregabilidade dos diplomados” de ambas as instituições, mediante “ações conjuntas que melhorem a qualidade e a eficácia das respetivas intervenções”.

A Embraer está no “centro” deste esforço conjunto, mas o delegado do IEFP no Alentejo não reduz a esta empresa as potencialidades futuras da parceria.

“Queremos produzir competências, não só para quem vai trabalhar para a Embraer, que é um ‘cliente’ importante que temos servido e bem, mas para todas as empresas do mesmo ‘cluster’ aeronáutico, que se venham a instalar em Évora ou que estejam situadas noutras zonas do país”, assumiu.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.