IATA revê em alta lucro das companhias aéreas em 2013

IATA revê em alta lucro das companhias aéreas em 2013

 

Lusa/AO online   Economia   12 de Dez de 2013, 11:21

A Associação Internacional das Transportadoras Aéreas (IATA) reviu em alta as previsões dos lucros das companhias aéreas para este ano.

 

"Atualmente, subimos as nossas estimativas de lucros para este ano para 12,9 mil milhões de dólares [cerca 9,4 mil milhões de euros]", ou seja "mais 1,2 mil milhões (de dólares) que o que esperávamos em setembro", declarou Tony Tyler, diretor-geral da IATA na conferência de imprensa anual da organização em Genebra.

Em 2014, o lucro da indústria do transporte aéreo deverá continuar a aumentar com uma estimativa de 19,7 mil milhões de dólares, mais "3,3 mil milhões de dólares" do que o previsto em setembro, adiantou Tyler.

Se estas previsões se confirmarem, o lucro em 2014 será "o mais elevado de sempre" da indústria de transporte aéreo, segundo Tyler.

A revisão em alta foi favorecida por uma "ligeira descida dos preços do petróleo" e pelo "impacto positivo dos agrupamentos e fusões" na indústria do transporte aéreo, que permitiram melhorar a rentabilidade do setor, adiantou Tyler.

O diretor-geral da IATA afirmou ainda que o número avançado de 19,7 mil milhões de dólares de lucro esperado em 2014 aparece como "um montante muito elevado", mas "é partilhado por centenas de companhias aéreas", que vão "transportar 3,3 mil milhões de passageiros que vão gerar uma faturação de esperada de 743 mil milhões de dólares para o setor.

"Uma simples divisão da faturação pelo número de passageiros indica uma receita um pouco inferior a seis dólares por passageiro", referiu ainda.

A taxa média de rentabilidade das companhias aéreas deverá ser de 2,6% no próximo ano.

Em 2012, as companhias aéreas obtiveram um lucro de 7,4 mil milhões de dólares.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.