"Hong Kong e Macau não ganharam nada com a transição"


 

Lusa / AO online   Internacional   3 de Dez de 2009, 10:30

Martim Lee, activista de direitos humanos de Hong Kong, disse à Lusa que Macau e a antiga colónia britânica “não ganharam nada com a transição” e que a China não deve interferir nos assuntos das duas regiões.
“Pequim não deve interferir nos assuntos de Hong Kong e Macau. A população a governar com elevado grau de autonomia era a maior promessa (da transição)”, disse Martin Lee ao salientar que tal “não está a acontecer”.

“Macau e Hong Kong devem insistir para que todas as promessas feitas antes e depois da transição sejam cumpridas. É o mínimo que Pequim pode fazer. Caso contrário, o resto do mundo vai ver que não é de confiança”, defende Martin Lee que afirma que as regiões “não ganharam nada com a transição” até conseguirem democracia.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.