Futebol

Hermínio Loureiro volta a defender organização conjunta com Espanha

Hermínio Loureiro volta a defender organização conjunta com Espanha

 

Lusa/AO online   Futebol   9 de Dez de 2008, 20:50

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) reiterou hoje tratar-se de uma "excelente oportunidade" para Portugal a co-organização com Espanha do Campeonato do Mundo de 2018
À margem da apresentação da 1ª edição da Pós-Graduação em Gestão do Desporto Profissional, organizada pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Hermínio Loureiro explicou que organizar um Mundial em cooperação com Espanha seria uma "excelente oportunidade para o país rentabilizar" o investimento feito para o Euro2004.
"Em cooperação e em conjunto com Espanha, acho uma excelente oportunidade para o país, de forma a rentabilizar muito do investimento já feito, nomeadamente nos estádios. Houve um grande investimento para o Euro2004 e temos de potenciar e rentabilizar tudo o que foi feito. Julgo que em conjunto com Espanha será uma excelente oportunidade", disse.
Também vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Hermínio Loureiro afastou, no entanto, a possibilidade do Mundial2008 ser apenas organizado por Portugal: "Sempre defendi que, a haver uma candidatura, essa seria sempre em cooperação com Espanha".
O dirigente, que aplaudiu a iniciativa da Faculdade de Economia, afirmou que esta Pós-Gradução "é uma oportunidade para as novas gerações", não deixando, contudo de aplaudir o contributo de "inúmeros dirigentes, décadas após décadas".
"É justo destacar o papel importante que muitos dirigentes desportivos tiveram, desempenhando o seu papel com elevado profissionalismo e que guindaram clubes portugueses a grande destaque no panorama internacional. Só podemos estar onde estamos porque ao longo de décadas houve grandes dirigentes. Mas não podemos virar as costas ao saber", advertiu.
Hermínio Loureiro, admitindo também sentir saudades de jogos de futebol nas tardes de domingo, disse existirem muitos factores que contribuem para o afastamento do público dos estádios e pediu aos clubes para apostarem no "espectáculo" e nos "golos".
O presidente da LPFP voltou ainda a manifestar a intenção de implementar a profissionalização da arbitragem até ao final do seu mandato.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.