Guterres anuncia “maior diálogo global de sempre” sobre o futuro para assinalar os 75 anos da ONU

Guterres anuncia “maior diálogo global de sempre” sobre o futuro para assinalar os 75 anos da ONU

 

Lusa/AO Online   Internacional   24 de Out de 2019, 16:40

O secretário-geral da ONU anunciou que as comemorações do 75.º aniversário daquela organização, assinalado em 2020, serão marcadas pela promoção do “maior diálogo global de sempre” sobre a cooperação mundial e o seu papel na construção do futuro.

A iniciativa, apelidada de UN75 (United Nations 75 – 2020 and Beyond, na versão em inglês), é lançada por António Guterres no dia (24 de outubro) em que é assinalado o Dia das Nações Unidas, data celebrada desde 1948.

Num comunicado e num vídeo institucional, o representante divulga que a partir de janeiro de 2020 as Nações Unidas vão promover diálogos amplos e abrangentes que irão ocorrer em todo o mundo, percorrendo várias fronteiras, segmentos e setores da sociedade e gerações.

“O objetivo é alcançar o público global, ouvir as suas esperanças e medos e aprender com as suas experiências”, refere o comunicado.

“Precisamos das vossas opiniões, das vossas estratégias, das vossas ideias para que possamos oferecer e prestar os melhores resultados às pessoas do mundo”, reforçou Guterres, no vídeo.

Das salas de aulas aos Parlamentos nacionais, passando também por estruturas do poder local, a iniciativa UN75 pretende dar um foco especial aos jovens e às pessoas cujas vozes são muitas vezes marginalizadas ou não são ouvidas nos assuntos globais, segundo a ONU.

“Através dos futuros diálogos, a UN75 pretende construir uma visão global para o ano de 2045, o centenário da ONU, aumentar a compreensão das ameaças para esse futuro e conduzir uma ação coletiva para realizar essa visão”, destaca o comunicado, que acrescenta que sondagens globais de opinião e outros estudos serão realizados em paralelo para fornecer dados estatísticos representativos.

A organização internacional referiu ainda que as opiniões, as ideias e as abordagens recolhidas ao longo desta iniciativa serão posteriormente apresentadas aos líderes mundiais e aos altos funcionários da ONU num evento de alto nível que irá decorrer durante a 75.ª sessão da Assembleia-Geral em setembro de 2020.

No vídeo em que assinala o Dia das Nações Unidas, Guterres destaca que “nos tempos atuais de rápidas mudanças, a ONU permanece focada nos problemas reais de pessoas reais”.

Na mesma mensagem, o secretário-geral afirma que a organização assinala hoje “os ideais duradouros da Carta das Nações Unidas”, documento que entrou em vigor há 74 anos.

Segundo António Guterres, “entre os mares revoltos do mundo”, a Carta das Nações Unidas continua a ser uma “âncora moral partilhada”, mencionando ainda que a organização internacional continuará a trabalhar, entre outras vertentes, para uma “globalização justa” e uma “ação climática arrojada”.

A defesa dos direitos humanos e da igualdade de género e a rejeição de qualquer tipo de ódio são outras vertentes destacadas por Guterres.

O Dia das Nações Unidas assinala a entrada em vigor, em 1945, da Carta das Nações Unidas.

Com a ratificação deste documento fundador pela maioria dos signatários, incluindo pelos cinco Estados-membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França), as Nações Unidas passaram a existir oficialmente.

No início deste mês, o secretário-geral alertou que a organização internacional atravessa dificuldades financeiras, tendo anunciado um conjunto de medidas de contenção.

Guterres assumiu a liderança da ONU em janeiro de 2017.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.