Governo escolhe Synergy mas admite desistir a meio da privatização

Governo escolhe Synergy mas admite desistir a meio da privatização

 

Dinheiro Vivo   Economia   18 de Out de 2012, 18:07

O Governo aprovou esta quinta-feira o caderno de encargos que define as regras da privatização da TAP, afirmou o secretário de Estado dos Transportes após a reunião do Conselho de Ministros.

E confirma-se: a colombiana Synergy Aerospace é a única candidata que reúne as condições para passar à segunda fase de privatização da transportadora aérea. As negociações vão arrancar quanto antes por forma a possibilitar a conclusão da operação até ao final do ano, conforme anunciado pelo Governo, disse Sérgio Monteiro. O encaixe, admite o secretário de Estado, deverá passar para 2013.

O Governo garante, porém, a possibilidade de desistir da venda ao longo do processo, sem qualquer custo. Fica ainda assegurado o direito de preferência. Ou seja, no final do período de indisponibilidade das acções, o Governo garante a preferência caso a Synergy entenda alienar a empresa a uma terceira entidade.

O Governo aprovou hoje o caderno de encargos que define as regras da privatização da TAP, afirmou o secretário de Estado dos Transportes após a reunião do Conselho de Ministros.

E confirma-se: a colombiana Synergy Aerospace é a única candidata que reúne as condições para passar à segunda fase de privatização da transportadora aérea. As negociações vão arrancar quanto antes por forma a possibilitar a conclusão da operação até ao final do ano, conforme anunciado pelo Governo, disse Sérgio Monteiro. O encaixe, admite o secretário de Estado, deverá passar para 2013.

O Governo garante, porém, a possibilidade de desistir da venda ao longo do processo, sem qualquer custo. Fica ainda assegurado o direito de preferência.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.