Governo açoriano anuncia reforma no setor da Saúde para alcançar sustentabilidade

Governo açoriano anuncia reforma no setor da Saúde para alcançar sustentabilidade

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Nov de 2012, 06:55

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou a intenção de levar a cabo uma reforma na área da Saúde no arquipélago, com vista à "sustentabilidade" do setor num prazo de 10 a 15 anos.

O chefe do executivo, que falava no final do debate do programa do Governo, em discussão durante três dias na Assembleia Legislativa dos Açores, entende que esta é uma reforma que deve reunir os "consensos necessários para que sejam estáveis no tempo".

"Este compromisso visa definir, durante o ano de 2013, que serviço regional de Saúde queremos ter nos Açores ao longo dos próximos 10 a 15 anos, como o devemos reestruturar e quais as medidas que devem ser concretizadas para realizar estes objetivos, bem como para garantir a sua imprescindível sustentabilidade", frisou Vasco Cordeiro.

O presidente do Governo garntiu que pretende assegurar que "todos os açorianos", independentemente da sua condição económica, tenham acesso a cuidados de Saúde "dignos, seguros e céleres".

O chefe do executivo alertou, porém, que "nenhuma área" do Serviço Regional de Saúde ficará "imune" às mudanças que se exigem no setor.

Vasco Cordeiro decidiu também "impôr" à Administração Regional uma "moratória" na construção de raiz de novos empreendimentos, pelo prazo de três anos, eventualmente renovável, que abrangerá o apoio à habitação social e os equipamentos coletivos.

Segundo explicou, esta medida visa concentrar as obras públicas na "recuperação da malha urbana já existente" no arquipélago.

"Numa região insular como a nossa, não podemos continuar a ocupar solo fértil ao ritmo com que o temos feito nos últimos anos, sobretudo terrenos que devem ser direcionados para a produção agrícola", justificou.

Em relação ao combate ao desemprego nas ilhas, Vasco Cordeiro anunciou a intenção de convocar, até ao final do ano, um Conselho de Governo extraordinário dedicado às empresas e ao emprego, para aprovação de medidas concretas de natureza conjuntural e também a definição de um roteiro que defina as medidas a tomar na região, na área de criação de emprego e de reforço da competitividade das empresas.

Vasco Cordeiro anunciou ainda novidades no setor do Turismo e da promoção do destino Açores, que será reforçada com a entrada no mercado de um novo operador, que vai assegurar a ligação aérea Paris/Ponta Delgada/Paris, entre abril e outubro do próximo ano, gerando um potencial de 17.500 novas dormidas nas ilhas.

O chefe do executivo manifestou, por outro lado, o seu desagrado perante a intenção já manifestada pelos Estados Unidos da América, de reduzirem a presença norte-americana na Base das Lajes, na ilha Terceira.

No seu entender, é importante que nas negociações que estão a decorrer entre Portugal e os Estados Unidos, o Governo da República "denote a consciência clara" daquilo que está em causa com a eventual redução do contingente laboral português naquela base militar.

"O que está aqui em causa são centenas e centenas de trabalhadores açorianos, são vidas e são pessoas, é uma percentagem demasiado elevada da economia da ilha Terceira e muito significativa da economia regional", ressalvou Vasco Cordeiro.

Apesar de todas as medidas anunciadas pelo novo executivo açoriano, o programa do Governo para os próximos quatro anos foi aprovado no Parlamento apenas com os votos favoráveis da bancada da maioria socialista, enquanto toda a oposição (PSD, CDS, BE, PCP e PPM) votou contra.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.