Filme de Inês de Medeiros distinguido em São Paulo

Filme de Inês de Medeiros distinguido em São Paulo

 

Lusa / AO online   Nacional   2 de Nov de 2007, 16:27

O filme "Cartas a uma Ditadura", da realizadora portuguesa Inês de Medeiros, foi distinguido na 31ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo com o Prémio do Público para melhor documentário de média-metragem, informaram os organizadores.
"Cartas a uma Ditadura" - já anteriormente galardoado como "melhor documentário de criação" em Biarritz (França, 2007) e com o prémio Distribuição no DocLisboa 2006 - é uma co-produção luso-franco-belga que mostra testemunhos pessoais sobre o regime anterior ao 25 de Abril em Portugal.

A longa-metragem "O Banheiro do Papa", de Enrique Fernández e César Charlone, uma co-produção do Brasil com o Uruguai e a França, foi o grande vencedor do certame, o maior do género no Brasil, tendo recebido o prémio do "melhor filme do júri".

O festival distinguiu ao todo 18 filmes, em 16 categorias diferentes, entre os 461 filmes, de 77 países, exibidos em 1.180 sessões, nas últimas duas semanas.

Entre as produções portuguesas que integraram a mostra estão "A 15ª Pedra", de Rita Azevedo Gomes, "Atrás das Nuvens", de Jorge Queiroga, "Mal Nascida", de João Canijo, "Sereia", de Jose Maria Vaz da Silva, e "Tebas", de Rodrigo Areias.

Foram também exibidos "A Outra Margem", de Luis Filipe Rocha, e "O Mistério da Estrada de Sintra", de Jorge Paixão da Costa, que são co-produções luso-brasileiras, e o "O Enigma Cristóvão Colombo", o mais recente filme do realizador Manoel de Oliveira, uma co-produção luso-francesa.

"O Estado do Mundo", dos realizadores Apichatpong Weerasethakul, Vicente Ferraz, Ayisha Abraham, Wang Bing, Pedro Costa e Chantal Akerman fez também parte da lista, sendo uma produção que juntou Portugal, Escócia, França, Tailândia, China, Brasil e Índia.

Os restantes filmes distinguidos foram:  
Prémio Especial do Júri
"Truques", de Andrzej Jakimowski (Polônia)
  
Prémio do Júri Revelação
"Postales de Leningrado", de Mariana Rondón (Venezuela)
  
Prémio do Júri para Melhor Actriz    
Carla Ribas, por A Casa de Alice (Brasil)
 
Prémio do Júri para Melhor Documentário
"Transformaram nosso Deserto em Fogo, de Mark Brecke (Sudão/Chade/EUA)
   
Prémio do Júri para Melhor Curta-Metragem Estrangeira
"Em Construção", de Zhenchen Liu (França)
  
Prémio do Júri para Melhor Curta-metragem Brasileira
"O Crime da Atriz", de Elza Cataldo
 
Prémio do Júri Menção Especial (Curta)  
"O Pequeno Martin", de Violaine Bellet (França)
 
Prémio da Crítica
"A Questão Humana", de Nicolas Klotz (França)

Prémio do Público para Melhor Longa Metragem Estrangeira de Ficção
"Into the Wild", de Sean Penn (Estados Unidos) e   
"Persépolis", de Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud (França)
 
Prémio do Público para Melhor Documentário Estrangeiro
"O Filme da Rainha", de Sergio Mercúrio (Argentina)
  
Prémio do Público para Melhor Longa Brasileira de Ficção  
"Estórias de Trancoso", de Augusto Sevá

Prémio do Público para Melhor Documentário Brasileiro
"Pindorama - A Verdadeira História dos Sete Anões", de Roberto Berliner, Leo Crivelare e Lula Queiroga
  
Prémio da Juventude  
"Postales de Leningrado", de Mariana Rondón (Venezuela)
   
Prémio Humanidade
Amos Gitai, cineasta israelita de "Kippur O Dia do Perdão" (2000) e "A Retirada" (2007)
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.