Europeu de Patinagem Artística injetou 1,3 milhões de euros na economia regional

Europeu de Patinagem Artística injetou 1,3 milhões de euros na economia regional

 

Nuno Martins Neves   Outras modalidades   18 de Out de 2018, 14:10

A Associação de Patinagem de São Miguel apresentou o estudo de impacto económico do Campeonato da Europa, que se realizou de 31 de agosto a 8 de setembro na Lagoa



O Campeonato da Europa de Patinagem Artística injetou 1,3 milhões de euros na economia açoriana, de acordo com o o estudo de impacto económico apresentado quarta-feira pela Associação de Patinagem de São Miguel (APSM). Um valor que pode ser mais alto, por a organização não ter conseguido apurar com exatidão todos os gastos tidos pelos visitantes, que ascenderam ao milhar de pessoas.

No Salão Nobre da Câmara Municipal da Lagoa, o responsável pelo estudo, o economista Óscar Rocha referiu que a maior fatia dos 1,3 milhões euros veio do alojamento (513 mil), com as rubricas passagens aéreas (289 mil) e alimentação (237 mil) imediatamente a seguir. Com menor impacto, contribuem os transportes terrestres (63 mil), despesas da organização (26 mil) e outros (12 mil).

Um valor que ultrapassa largamente o investimento público recebido, que rondou os 54 mil euros, divididos pela autarquia lagoense (25 mil), Direção Regional do Turismo (25 mil) e Câmara Municipal de Ponta Delgada (4 mil).

A prova teve um custo total na ordem dos 77 mil euros, com a APSM a entrar com 13 mil euros - “que não teve impacto nas contas da associação”, referiu o presidente José Raimundo - e a Federação de Patinagem de Portugal com os restantes 12 mil.

O impacto da organização do Europeu de Patinagem Artística não se resume ao dinheiro que entra na economia regional: também ao nível da promoção turística o evento foi uma mais-valia.

Na CERS TV, 187539 espetadores assistiram em direto ao Europeu ao longo dos nove dias de competição. Se se juntar as visitas no site (169 mil), Facebook (252 mil) e Instagram (26 mil), o evento ultrapassou o meio milhar de visualizações (636 mil), de mais de 38 países dos cinco continentes. Segundo as contas apresentadas, o Europeu movimentou um milhar de pessoas, entre participantes (465) e acompanhantes (600).

Somando os números dos três eventos organizados pela atual Associação de Patinagem de São Miguel, houve um fluxo de quase 2 mil pessoas.

Este foi, de longe, o evento organizado pela APSM que maior impacto económico teve, suplantando a Taça de Portugal de Patinagem Artística (128 mil euros) e o Torneio Inter-Regiões em Hóquei em Patins (176 mil euros).


Estamos a trabalhar para trazer o Europeu de hóquei ou uma Taça Latina”

Com três grandes eventos desde 2015, a Associação de Patinagem de São Miguel já está com os olhos postos no futuro e, de acordo com o presidente José Raimundo, “já estamos a trabalhar para trazer para São Miguel o Campeonato da Europa de hóquei em patins, em seniores ou sub-23; ou a Taça Latina”.

Sobre o estudo, o dirigente lembrou que “defendemos quem recebe dinheiros públicos, tem de justificar onde e como são gastos”. Além dos números referidos, José Raimundo diz que “há outro que não conseguimos contabilizar que foi a promoção da Região boca-a-boca dos visitantes e a presença na comunicação social regional, nacional e internacional”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.