Estados Unidos impõem novas sanções ao Irão

Estados Unidos impõem novas sanções ao Irão

 

Lusa / AO online   Internacional   25 de Out de 2007, 18:29

Os Estados Unidos impuseram esta quinta-feira sanções contra os militares iranianos, nomeadamente uma unidade de elite do exército, e contra três bancos estatais, acusados de apoiar o terrorismo, anunciou a secretária de Estado Condoleezza Rice.
Estas novas medidas foram decididas para punir “a atitude irresponsável do Irão”, declarou Rice numa declaração à imprensa, sublinhando que os Estados Unidos permaneciam empenhados numa acção diplomática para resolver a crise nuclear iraniana.

Adiantou que as sanções decididas por Washington visavam a unidade de elite Al-Qods, acusada de apoiar o terrorismo, e os Guardas da Revolução, acusados de contribuírem para a proliferação de armas de destruição maciça.

Segundo os diários New York Times e Washington Post, estas sanções permitiriam que as autoridades norte-americanas exercessem também pressão sobre centenas de companhias estrangeiras com relações de negócios com os militares iranianos.

Estas medidas constituem o último acto da administração norte-americana para fazer aumentar a pressão sobre Teerão, que acusa de apoiar o terrorismo, de contribuir para a insurreição no Iraque e de procurar desenvolver a arma nuclear.

Um deputado iraniano considerou entretanto que estas novas sanções dos Estados Unidos constituem “um erro estratégico”, que só fará aumentar o desafio entre Washington e Teerão.

“Os Estados Unidos cometeram um erro estratégico ao colocar na sua lista negra (das organizações terroristas) os Guardas da Revolução”, afirmou hoje Kazem Jalali, porta-voz da comissão parlamentar dos Negócios Estrangeiros e Segurança.

“Os Guardas da Revolução são uma força oficial do Irão e é claro que o facto de serem qualificados como terroristas interfere nos assuntos internos de uma nação soberana”, adiantou.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.