Duch "profundamente arrependido" pelos crimes cometidos


 

Lusa / AO online   Internacional   25 de Nov de 2009, 10:43

Duch, o director da prisão cambojana de Tuol Sleng, durante o regime dos Khmers Vermelhos, manifestou perante um tribunal internacional, o seu "mais profundo arrependimento" pelos crimes que lhe são imputados.
"O meu arrependimento é reflectido na plena e sincera colaboração que mantenho com este tribunal há 10 anos", disse Kaing Gueg Eav (Duch), nas alegações finais do seu julgamento.

O acusado pediu perdão às vítimas perante o tribunal internacional que o está a julgar por crimes contra a humanidade, em relação ao genocídio no Camboja.

Duch, 67 anos, respondia ao Ministério Público e às vítimas que puseram em causa a sinceridade do seu arrependimento e que o acusam de ser responsável pelos factos acontecidos na prisão secreta de Tuol Sleng, a S-21.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.