Desemprego aumenta nas Regiões Autónomas

Desemprego  aumenta nas Regiões Autónomas

 

Lusa/AO Online   Regional   20 de Set de 2011, 07:13

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego caiu 3 por cento em agosto face ao mesmo mês de 2010, mas subiu 1,8 por cento relativamente a julho, com exceção da Madeira e Açores que registaram aumentos, segundo o IEFP.

De acordo com os dados divulgados hoje pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), no mês de agosto encontravam-se inscritos nos centros de emprego do continente e regiões autónomas 533.372 desempregados, o que corresponde a 86 por cento do total de pedidos de emprego (620.445).

A descida do desemprego em termos homólogos foi comum a todas as regiões excepto aos Açores e à Madeira, onde cresceu respetivamente 30,1 por cento e 18,4 por cento.

O decréscimo do desemprego, em termos homólogos, foi extensível a ambos os géneros, com destaque para o feminino (menos 4,5 por cento).

Tanto os jovens como os adultos registaram igualmente uma quebra do desemprego, com menos 6,6 por cento e menos 2,5 por cento, respetivamente, indica o IEFP.

Quanto à duração do desemprego, os desempregados de curta duração (que permaneciam nessa situação há menos de 1 ano) baixaram 5,3 por cento em termos homólogos, enquanto que os de longa duração (mais de um ano de desemprego) sofreram um crescimento homólogo de 0,3 por cento.

Os casos de procura de um primeiro emprego registaram um ligeiro aumento de 0,2 por cento enquanto os que se encontravam à procura de um novo emprego sofreram uma redução de 3,2 por cento.

o desemprego diminuiu nos grupos com menos habitações escolares e aumentou nos níveis com maior escolaridade. Os desempregados com habilitações escolares de nível superior aumentaram 7,5 por cento.

Relativamente às profissões dos desempregados, as estatísticas do continente evidenciam cinco áreas como as mais representativas: pessoal dos serviços, de proteção e segurança; trabalhadores não qualificados dos serviços e comércio; empregados de escritório; trabalhadores não qualificados das minas, construção civil e indústrias transformadoras e operários e trabalhadores similares da indústria extrativa e construção civil.

Estes cinco grupos profissionais representavam 52,5 por cento face ao total de desempregados inscritos no final de agosto de 2011, salienta o IEFP.

O número de colocações efetuadas ao longo de agosto, através dos centros de emprego de todo o país, totalizou 5.471, valor inferior em 8 por cento ao registado em agosto do ano passado, e superior em 1,3 por cento em relação ao mês de julho.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.