Eleições Legislativas 2019

Deputados devem empenhar-se por uma "discriminação positiva" dos Açores

Deputados devem empenhar-se por uma "discriminação positiva" dos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Out de 2019, 06:44

O presidente da Federação Agrícola dos Açores (FAA) defendeu que os deputados açorianos devem empenhar-se por uma “discriminação positiva” nas transferências do Estado, uma vez que a região é a parcela “mais pobre” do país.

Jorge Rita declarou à agência Lusa, na sequência das eleições legislativas nacionais de 06 de outubro, que esta discriminação se deve materializar através das transferência do Orçamento do Estado, mas também por via da Lei de Finanças das Regiões Autónomas.

O dirigente agrícola aludia aos condicionamentos resultantes de viver em nove ilhas afastadas dos grandes centros, bem como ao facto de o arquipélago estar exposto a intempéries naturais, exemplificando com o recente furacão “Lorenzo”.

No caso específico da agricultura, Jorge Rita considera que “poderão haver alternativas à produção do leite a nível nacional, mas nos Açores a situação é inversa”, defendendo que os parlamentares eleitos pela região devem “discutir e apreciar bem” os temas do arquipélago, empenhando “muita persistência”.

O representante da agricultura e pecuária dos Açores pretende que os deputados do PS e PSD eleitos “lutem com todas as armas ao seu alcance” e “sem qualquer tipo de reservas” face aos partidos a nível nacional, defendendo os “interesses dos Açores, para os quais foram eleitos pelas pessoas”.

Para Jorge Rita, no capítulo das alterações climáticas os Açores são um “excelente exemplo na forma como se produz a carne e o leite nas suas explorações", algo que deve ser capitalizado pelos deputados a favor da região, para se “alcançar ajudas específicas visando manter este tipo de produção, diferente de tudo o que existe na Europa”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.