Deputado nos EUA há 30 anos, António Cabral ainda conta com apoio dos emigrantes

Deputado nos EUA há 30 anos, António Cabral ainda conta com apoio dos emigrantes

 

Elena Lentza/Lusa   Regional   12 de Ago de 2019, 12:34

O deputado açoriano da Câmara dos Representantes de Massachusetts, António Cabral, diz-se “americano em todos os sentidos”, mas com laços “extremamente importantes” à comunidade portuguesa imigrante nos Estados Unidos.

António Cabral nasceu nos Açores e mudou-se com a família para os Estados Unidos nos tempos da adolescência, há 50 anos. Em 1990 foi eleito pela primeira vez como representante da cidade de New Bedford na Assembleia Legislativa de Massachusetts em Boston e cumpre agora o 10.º mandato como deputado.

Para o deputado de Massachusetts, a comunidade portuguesa e de lusodescendentes na América “é extremamente importante”, porque, além de ser da mesma origem, constitui um “bloco de apoio” para as eleições.

António Cabral era ativo na comunidade e na política desde os tempos de estudante na Universidade de Massachusetts-Dartmouth.

Depois de começar a carreira de professor de língua portuguesa, espanhola e inglesa, concorreu em 1990 para ser representante de New Bedford na Câmara dos Representantes do Estado de Massachusetts porque queria ter um impacto maior na comunidade.

Deputado há quase 30 anos, António Cabral reflete que teve oportunidade de ter um impacto “geral, mais global e universal” em termos de ensino ou educação, “uma das paixões” do político.

No ano 2011, concorreu para ser ‘mayor’ de New Bedford e ganhou nas eleições primárias, em que os partidos elegem os seus candidatos. Cabral, do partido democrata, perdeu contra o candidato republicano Jonathan Mitchell, que ainda se mantém no cargo.

Na corrida eleitoral para ‘mayor’ ficou como uma “boa experiência”, que lhe valeu “imenso apoio da comunidade em geral”.

Ao longo das décadas, debruçou-se sobre vários temas importantes da sociedade, desde a saúde, educação ou desenvolvimento económico.

Entre os trabalhos que destaca e dos que mais se orgulha é uma lei de 2002 que passou a obrigar os membros do clero do estado de Massachusetts a denunciar abusos sexuais de menores.

A lei foi aprovada pela assembleia legislativa de Boston pouco depois do início das grandes reportagens do jornal The Boston Globe sobre o escândalo dos abusos sexuais de crianças por padres católicos, investigação que foi retratada no filme “Spotlight” de 2015, vencedor de dois Óscares.

“Hoje, no estado de Massachusetts já é lei há muitos anos e fui eu que iniciei essa proposta”, disse Cabral.

O deputado conta que foi convidado a presidir a sessão de plenário para aprovação da lei na Câmara dos Representantes, no dia 25 de abril de 2002 e como tal, tem a sua assinatura nessa lei.

“Como tinha sido uma iniciativa minha, na altura o ‘speaker’ (presidente da Casa dos Representantes) deu-me oportunidade no final do debate para que eu pudesse assinar essa proposta de lei”, recorda o político.

No passado, Cabral também defendeu os direitos dos imigrantes quando as políticas nos EUA estavam tensas, garantindo igualdade e condições de vida, não só para os portugueses como para todos os imigrantes legais.

Outra das leis “mais marcantes” que apresentou foi em defesa de Timor-Leste durante a ocupação indonésia, para dificultar o investimento em negócios ligados à Indonésia, que serviu para criar pressão na política norte-americana e na administração de Bill Clinton.

“Americano em todos os sentidos”, mas com grandes ligações à origem portuguesa, António Cabral está no gabinete 466 da Massachusetts State House, com funcionários de diversas origens, incluindo falantes de português.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.