CTT-Açores lançam incentivo a cadeia de solidariedade social

CTT-Açores lançam incentivo a cadeia de solidariedade social

 

Rui Leite Melo   Regional   16 de Dez de 2008, 09:48

Os CTT arrancaram ontem com um amplo projecto de dimensão nacional de combate à pobreza e à exclusão social.

Nos Açores, este projecto funcionará de forma individualizada relativamente ao projecto nacional, direccionando-se exclusivamente para cinco instituições de solidariedade, a saber: Banco Alimentar contra a Fome de São Miguel; Casa do Gaiato de São Miguel; Instituto Bom Pastor; Cruz Vermelha de Angra do Heroísmo e Cáritas da Horta.
Em concreto, o projecto prevê que - até 31 de Agosto de 2009 - basta a qualquer pessoa deslocar-se a uma estação dos CTT da Região com o seu donativo e solicitar uma caixa de transporte em cartão, remetendo-a a qualquer uma das instituições referidas através de indicação num autocolante próprio.
Não será requerida qualquer identificação ou endereço do remetente, ficando todos os custos de transporte  inteiramente a cargo dos CTT, que asseguram a entrega na instituição em causa. Por sua vez os Correios não cobrarão nada pela disponibilização da sua rede para essas instituições.
O projecto foi ontem apresentado em Ponta Delgada pelo director regional dos CTT, António Ventura, numa sessão que contou com a presença dos responsáveis das três instituições sedeadas em São Miguel e que não deixaram de elogiar a iniciativa dos Correios de Portugal.
Entusiasmado, o representante nos Açores da empresa distribuidora admitiu, a propósito, que “este é o projecto que mais me marcou até hoje e também aquele que me deixa mais nervoso”. Conforme disse, o programa de combate à pobreza lançado pelos CTT tem o único objectivo de ajudar quem está no terreno.
“Os CTTfazem apenas pontes”, afirmou, deixando bem expresso que a campanha irá cobrir todo o arquipélago.

Amplo projecto
Em termos nacionais, a iniciativa compreende um total de 25 instituições de solidariedade.
A logística envolvida é inédita numa operação deste género em Portugal: 941 Estações dos Correios (100% das estações); 370 Centros de Distribuição Postal e 3720 veículos, ou seja, toda a frota dos Correios de Portugal estará envolvida.
A estes juntam-se os trabalhadores da empresa voluntários para este projecto, de um universo de 16 mil trabalhadores.
Para que todos os cidadãos saibam que bens as instituições aderentes necessitam, a informação está disponível em todas as Estações de Correios, em www.ctt.pt e, nos próximos dias, em todas as caixas de correio do País, para onde será enviado um folheto informativo.
Os bens mais solicitados pelas instituições que integram a iniciativa nos Açores, que apresentaram previamente a respectiva lista de prioridades, vão desde qualquer tipo de alimentos não perecíveis, no caso do Banco Alimentar, como ainda roupa, calçado, produtos de higiene e medicamentos.
No entanto as dádivas podem compreender outro tipo de bens.
É convicção dos CTT – Correios de Portugal que esta iniciativa permitirá democratizar a solidariedade e eliminar barreiras geográficas.

 


 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.