Açoriano Oriental
Cruzeiros retidos no mar por restrições de voos e portos fechados

Alguns navios de cruzeiros continuam no mar, à espera de soluções para atracar, numa altura em que as restrições de voos e o encerramento de portos atrasam a saída em segurança de passageiros, disse à Lusa a CLIA.

Cruzeiros retidos no mar por restrições de voos e portos fechados

Autor: Lusa/AO online

Segundo fonte oficial da Cruise Lines International Association (CLIA), “93,4% dos cruzeiros membros da associação já não têm passageiros, sendo que um pequeno número de navios está a concluir as suas viagens”.

A CLIA revelou ainda que os armadores “estão focados na saúde e segurança de quem está a bordo, incluindo em trazer os navios de volta aos portos, assim que seja possível assegurar o regresso sem problemas dos passageiros às suas casas”.

No entanto, “restrições nos voos e encerramentos nos portos” conduziram a “alguns desafios logísticos” que a indústria e as empresas estão a “resolver o mais depressa possível”.

Fonte oficial da MSC, uma das maiores empresas de cruzeiros a nível mundial, adiantou que, neste momento, tem apenas um navio no mar, que ainda não atracou, o MSC Magnifica.

“Todos os nossos restantes 16 navios encontram-se já parados neste momento e as operações da nossa frota estão suspensas até ao dia 29 de maio”, adiantou a mesma fonte.

O diretor-geral da empresa em Portugal, Eduardo Cabrita, indicou que o MSC Magnifica “encontra-se neste momento a navegar no Oceano Índico a caminho da Europa", sendo que a bordo estão 1.771 passageiros e todos estão de boa saúde, bem como toda a tripulação”, não havendo “evidências” de que alguém a bordo “possa estar ou tenha sido infetado” pela covid-19.

O cruzeiro fez escala recentemente em Fremantle, Melbourne, Sydney e Hobart, na Austrália.

Os navios de cruzeiros acabaram por ficar no centro das preocupações em torno da pandemia de covid-19, quando várias embarcações registaram surtos a bordo e foram impedidas de atracar um pouco por todo o mundo.

Terminou esta quarta-feira a operação para o repatriamento de todos os passageiros que se encontravam a bordo do navio de cruzeiro MSC Fantasia, no Porto de Lisboa.

O cruzeiro, proveniente do Brasil, acostou em 22 de março no Porto de Lisboa com 1.338 passageiros a bordo, maioritariamente da União Europeia, Reino Unido, Brasil e Austrália.

A bordo encontravam-se 27 cidadãos portugueses e oito cidadãos estrangeiros residentes em Portugal.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 54 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 246 mortes, mais 37 do que na véspera (+17,7%), e 9.886 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 852 em relação a quinta-feira (+9,4%).


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.