Crise e relações económicas entre blocos dominam temas da cimeira ibero americana


 

Lusa/AO On line   Internacional   3 de Dez de 2010, 05:36

A América Latina senta-se esta sexta-feira com Portugal e Espanha à mesa da cimeira Ibero-Americana, mas a crise na Europa inverteu este ano os lugares, com os países ibéricos com preocupações financeiras e os latino-americanos no papel das potências económicas.
Pela primeira vez, a maior economia presente na cidade argentina de Mar del Plata, onde decorre até sábado a XX Cimeira Ibero-Americana é da América Latina e não da Europa, uma vez que o Brasil ultrapassou Espanha como oitava economia mundial.

“É claro que há uma inversão de papéis. O Brasil é tradicionalmente um país devedor, mas desde 2008 tornou-se credor internacional. É também significativo que quando Lula esteve em Portugal tenha oferecido ajuda a Portugal para o país sair da crise”, considerou Raquel Patrício, especialista em temas da América Latina e professora do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, em Lisboa.

Na origem desta inversão de papéis, disse Raquel Patrício em declarações à agência Lusa, está a crise financeira que abalou as economias europeias – neste caso Portugal e Espanha – e passou ao lado da América Latina mas também, sobretudo, a alteração do paradigma económico que os países latino-americanos têm vindo a adoptar

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.