Jornal de campanha

Costa Neves diz estar preparado para ultrapassar fasquia do PS

Costa Neves diz estar preparado para ultrapassar fasquia do PS

 

Olímpia Granada   Regional   10 de Out de 2008, 10:52

Na apresentação da mandatária  para a Juventude, a campeã Sofia Pires, o candidato
a presidente do Governo recorreu à metáfora desportiva para afirmar a convicção
na vitória eleitoral. Em São Miguel, PSD garante que PS perdeu prova da Saúde
O líder do PSD/Açores e candidato a presidente do Governo Regional garantiu ontem estar preparado para “ultrapassar a fasquia” dos resultados socialistas e vencer as eleições regionais de 19 de Outubro. 
“Eu estou preparado para bater o recorde de salto em altura, ou seja, ultrapassar uma fasquia que muitos acham que é muito alta para mim: a fasquia do resultado eleitoral do PS. Para isso eu estou preparado”, disse Carlos Costa Neves citado pela agênciaLusa.
A metáfora desportiva surgiu durante a apresentação da mandatária regional do Partido Social Democrata para a Juventude, Sofia Pires que, aos 23 anos, foi campeã nacional de pentatlo nos Campeonatos de Portugal de Pista Coberta, Campeã nacional de sub-23 no salto em comprimento e terceira na prova de salto em altura. “A Sofia é uma jovem e é importante para quem está na actividade política estar perto dos jovens e ela é a principal referência do atletismo açoriano”, destacou Costa Neves, na apresentação da sua mandatária, que decorreu no Estádio João Paulo II, em Angra do Heroísmo.
Na ocasião, Costa Neves elegeu o desporto escolar como uma das prioridades de um governo social democrata.“Vamos reformular, revolucionar o desporto escolar nos Açores” e, anunciou, o modelo a seguir será o aplicado na Região Autónoma da Madeira que tem “uma acção espectacular, graças a muitos técnicos” que trabalham na área, tendo tido “seis atletas olímpicos, ou seja, 10 por cento dos atletas olímpicos eram madeirenses”.
Em São Miguel, a campanha laranja continua a ser feita na rua, com cada concelhia do partido a distribuir um panfleto onde num dos versos tem as fotografias e respectivos nomes dos 27 candidatos a deputados pela ilha e, do outro, as  medidas que o PSD considera prioritário implementar em cada um dos seis concelhos, caso vença as eleições e forme governo, ou através do Parlamento Regional. Uma delas, é a construção de um novo edifício para o Centro de Saúde de Ponta Delgada, junto ao Hospital do Divino Espírito Santo. E ontem, nos Mosteiros, uma das mais afastadas das 24 Freguesias do maior concelho dos Açores, a Oeste da ilha, a comitiva de candidatos e militantes do PSD ouviu como queixa comum a muitos idosos a falta de saúde que a idade acarreta, tendo o candidato Pedro Gomes apelidado de “incompreensível” que os governos socialistas “tenham gasto 400 milhões de  contos nos últimos 12 anos”. Para o social-democrata, que fazia campanha com Berta Cabral e José Manuel Bolieiro, entre outros, “se é verdade que conseguiram melhorias ao nível das especialidades, ao nível dos cuidados primários de Saúde (os médicos de família), porta de entrada no Serviço Regional de Saúde, estamos praticamente como estávamos”.
O candidato denunciou que “há 80 mil açorianos que não têm médico de família, 30 mil dos quais em Ponta Delgada o que é um número demasiado grande” quando “muitos açorianos não têm dinheiro para pagar uma consulta num médico particular e têm que ir para as urgências”.
Pedro Gomes garantiu que o PSD quer apostar na Saúde como prioridade governativa, alargando, por exemplo, o número de utentes por médico de família e subscrevendo, tal como CDS-PP, a figura do enfermeiro de família.
Questionado sobre como é que interpretara a ausência de Rui Melo no jantar-comício em Vila Franca do Campo, Gomes disse que “não pode falar pelo presidente da(quela) Câmara e concelhia mas creio que foi uma mera coincidência”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.