Açoriano Oriental
Conceição retira carga ao clássico na corrida pelo título

O FC Porto pretende “dar uma resposta positiva” frente ao Benfica, no domingo, na 24.ª jornada da I Liga de futebol, desejou hoje o treinador Sérgio Conceição, sem atribuir peso excessivo ao clássico na luta pelo título.

Conceição retira carga ao clássico na corrida pelo título

Autor: Lusa /AO Online

“Acho que todos os encontros são importantes. Não há jogos de tudo ou nada, mas para ganhar. Não é com a diferença pontual [em mente] que vamos preparar o próximo duelo, mas olhando para o adversário para disputá-lo da melhor forma. Será necessário um FC Porto no seu melhor, forte, competente e a perceber aquilo que tem de fazer. Não vamos pensar em mais nada, porque não vale a pena”, observou, em conferência de imprensa.

Os ‘dragões’ tentam voltar aos triunfos na prova, após terem empatado no terreno do Gil Vicente (1-1), numa fase em que estão no terceiro lugar, a nove pontos do líder isolado e campeão nacional Benfica e a sete do Sporting, segundo colocado (menos uma partida).

“Se começarmos a olhar para trás e para a frente, poderemos tombar. Há que olhar para quem está à frente e ir à procura destes três pontos importantes. Pressão? Faz parte de quem treina uma equipa profissional de futebol, que, independentemente das mais-valias dos adversários, tem obrigação de ganhar. Dou-me bem com essa pressão”, assegurou.

Os dois rivais vão defrontar-se três dias depois de terem competido na Taça de Portugal, com o FC Porto, detentor do troféu, a superiorizar-se com reviravolta nos Açores face ao Santa Clara (2-1), líder da II Liga, num duelo dos quartos de final que foi reatado aos 27 minutos, após ter sido suspenso em 07 de fevereiro, face às más condições do relvado.

Já o Benfica sofreu a primeira derrota em mais de três meses, ao perder na casa do rival lisboeta Sporting (2-1), para a primeira mão das ‘meias’, com Sérgio Conceição a vincar que os ‘encarnados’ reúnem a defesa menos batida do campeonato, prova na qual estão invictos desde a jornada inaugural, quando cederam no Bessa perante o Boavista (3-2).

“Dentro da dinâmica ofensiva das equipas, há sempre jogadores que se destacam pelas suas características. O Rafa e o Di María são excelentes jogadores, muito experientes e com uma qualidade acima da média, mas o Benfica vale um pouco pelo seu todo e acho que não é ter uma ou outra individualidade que resolve as coisas. Com maior ou menor dificuldade, eles têm feito o seu trajeto. Isso diz que há algum trabalho coletivo”, avaliou.

Questionado sobre a aposta num ataque móvel, que foi utilizado pelo Benfica nos últimos dois jogos e na primeira parte da Supertaça Cândido de Oliveira conquistada face ao FC Porto (2-0), em agosto de 2023, em Aveiro, o treinador ‘azul e branco’ admitiu incerteza.

“O Rafa não deixa de ser móvel jogando como ponta de lança. A partir desse lugar, vem para espaços que ocupa quando joga a segundo avançado ou como ala. Temos de estar preparados para diferentes situações e para quem joga, pois o modelo não tem mudado muito. Falamos de um ‘4-4-2’. Se as peças mudarem, tudo se pode alterar”, reconheceu.

Os ‘dragões’ perderam os três jogos ‘grandes’ efetuados esta época e acabaram sempre em inferioridade numérica, sendo que Sérgio Conceição desejou ao árbitro principal João Pinheiro e às respetivas equipas de arbitragem e de videoarbitragem (VAR) que “sejam competentes e que, no final, não seja por algum erro deles que o jogo se possa decidir”.

O FC Porto, terceiro colocado, com 49 pontos, recebe o líder isolado e campeão nacional Benfica, com 58, dois acima do Sporting (menos uma partida), no domingo, às 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, sob arbitragem de João Pinheiro, da associação de Braga.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados