César defende regionalização da Meteorologia


 

Lusa/AOonline   Regional   2 de Dez de 2007, 14:31

O presidente do Governo açoriano defendeu hoje a regionalização do Instituto de Meteorologia, alegando a necessidade de uma melhor cooperação com o Serviço de Protecção Civil do arquipélago.
 Na inauguração das obras de ampliação do quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila Franca do Campo, ilha de São Miguel, Carlos César disse que outras instituições têm de “melhorar para ajudarem” o executivo açoriano a ter um Serviço de Protecção Civil mais operativo e com maior capacidade de prontidão.

    Esta maior ligação “poderia até passar pela própria regionalização parcial ou total do Instituto de Meteorologia nos Açores”, afirmou Carlos César, ao anunciar que a Protecção Civil vai ter novas valências, como a formação de equipas de intervenção em acidentes graves envolvendo aviões ou naufrágios.

    Defendeu, ainda, a necessidade das autarquias, em conjunto com as corporações de bombeiros, procederem a treinos em maior quantidade dos planos municipais de emergência.

    O Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores vai inovar em diversas áreas, como a criação de um sistema de atendimento para surdos-mudos, que constituirá uma “prioridade” para as corporações, anunciou.

    Segundo disse, o Governo Regional já investiu 3,2 milhões de euros, nos últimos anos, no reequipamento das associações de bombeiros voluntários dos Açores.

    Carlos César salientou, ainda, que Vila Franca do Campo está a receber um conjunto de investimentos públicos em várias áreas que constituem uma “resposta à necessidade e às capacidades que despontam do ponto de vista social e produtivo” no concelho.

    “O Governo não tem nada a favor ou contra o betão. O Governo constrói o que é preciso construir e estabelece as suas prioridades de acordo do que acha ser verdadeiramente prioritário”, realçou o chefe do executivo açoriano.

    Reconheceu, ainda, que o desenvolvimento do arquipélago “nunca será uniforme”, alegando que “os ritmos de crescimento são compatíveis com as capacidades e as escalas” de cada uma das ilhas.

    “Não é possível artificializar de tal forma o desenvolvimento de modo a proporcionar que o concelho das Lajes das Flores se desenvolva ao mesmo ritmo e com o mesmo potencial do que o concelho de Ponta Delgada”, exemplificou.

    Por isso, o Governo tem a “obrigação de ajudar mais intensamente os que mais precisam para acompanharem o ritmo médio do desenvolvimento regional”, afirmou Carlos César.

    Na inauguração das obras, o presidente da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, o social-democrata Rui Melo, reconheceu que o Governo Regional socialista tem “cumprido com os seus compromissos” assumidos para o concelho.

    Além do financiamento da autarquia e da própria associação, a ampliação e remodelação do quartel dos bombeiros locais contou com um apoio de 442 mil euros do executivo açoriano.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.