Açoriano Oriental
Açores/Eleições
CDU quer reforçar os transportes no 'triângulo' e criar passe intermodal

O coordenador regional do PCP nos Açores, Marco Varela, afirmou este domingo que a CDU está empenhada em “reforçar os transportes” nas ilhas do Faial, Pico e São Jorge, e quer criar um passe intermodal entre estas ilhas.

CDU quer reforçar os transportes no 'triângulo' e criar passe intermodal

Autor: AO Online/ Lusa

No último dia de visita do secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, aos Açores, coincidindo com o arranque da campanha das legislativas regionais, a CDU (PCP/PEV) promoveu, no Faial, uma iniciativa em que os candidatos às eleições frisaram a importância de reforçar dos transportes nas denominadas ‘ilhas do triângulo’.

Em declarações à Lusa, o coordenador regional do PCP ressalvou que, naquelas três ilhas do grupo Central, “a questão da mobilidade é uma questão que está sempre em cima da mesa” e sublinhou “a importância de reforçar os transportes, sejam aéreos, terrestres ou marítimos”.

O cabeça de lista da coligação que junta o PCP e Os Verdes pelos círculos do Corvo e de compensação considera que é preciso olhar “para o potencial do ‘triângulo’ de forma global” e defende que os aeroportos do Pico e da Horta devem reforçar as ligações, “nomeadamente para o continente”, mas alerta para a necessidade de olhar “para o potencial do aeroporto de São Jorge e criar as condições para o reforço” de voos”.

A iniciativa que aconteceu hoje, no primeiro dia de campanha, juntou elementos da CDU e incluiu contactos com a população, que transmitiu a esta coligação “confiança, determinação, força para estes últimos 12 dias” de campanha eleitoral, até às eleições de dia 25 de outubro, adiantou Marco Varela.

Os candidatos pelas ilhas de São Jorge, Pico e Faial destacaram a “receção por parte das populações destas três ilhas” à “proposta muito concreta de um passe intermodal, com um valor fixo, que permitisse uma maior mobilidade entre o triângulo”, explicou o líder regional comunista.

Marco Varela reiterou a necessidade de investir na “produção e valorização dos produtos regionais”, exemplificando com “a questão da produção do leite e dos produtos transformados, os laticínios, nomeadamente o queijo de São Jorge, que é um queijo de excelência, o queijo do Pico e a manteiga do Pico, o próprio queijo do Faial e a sua manteiga, mas também a produção de café em São Jorge”.

A campanha eleitoral decorre entre 11 e 23 de outubro, estando o sufrágio marcado para o dia 25.

Nas eleições regionais açorianas existe um círculo por cada uma das nove ilhas (São Miguel, Terceira, Faial, Pico, São Jorge, Graciosa, Santa Maria, Flores e Corvo) e um círculo regional de compensação, reunindo os votos que não foram aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

A CDU concorre por todos os círculos.

Ao todo, são 13 as forças políticas que se candidatam aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.

Estão inscritos para votar 228.572 eleitores. O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.