CDS-PP vai propor reforço de agentes da PSP, GNR e PJ no OE 2009


 

Lusa / AO online   Economia   18 de Out de 2008, 20:02

O CDS-PP vai propor alterações ao Orçamento do Estado de 2009 para permitir a entrada de agentes na PSP, GNR e Polícia Judiciária nesse ano e dar resposta à situação de insegurança no país.
    Em declarações à Agência Lusa, o deputado do CDS-PP Nuno Magalhães afirmou-se pouco surpreendido com as estatísticas mais recentes da PSP de Lisboa em que se conclui que, em média, nos primeiros seis meses do ano foi cometido um crime violento por hora.

    “Era de esperar, depois de uma reestruturação das forças de segurança que atribuiu uma área com mais 600 mil pessoas à PSP na região de Lisboa sem dar mais meios materiais e humanos à PSP”, disse à Lusa o ex-secretário de Estado da Administração Interna nos Governos PSD-CDS.

    A bancada do CDS-PP vai, por isso, questionar o ministro da Administração Interna, Rui Pereira, sobre o problema da segurança no debate sobre o Orçamento do Estado de 2009, no Parlamento, em meados de Novembro, e propor medidas.

    Os números da criminalidade da PSP, hoje divulgados pelo semanário Expresso, relativos ao primeiro semestre do ano, antes da onda de violência do Verão, revelam que se cometeram 4.471 crimes violentos – um por hora – na área metropolitana de Lisboa.

    Para Nuno Magalhães, é preciso confrontar Rui Pereira com os números e questioná-lo “se o Governo assume a falência desta reforma da reorganização territorial” das forças de segurança.

    No debate do Orçamento, disse Nuno Magalhães, o CDS-PP vai propor um reforço de verbas na segurança para a contratação de mais 2.000 agentes na PSP e na GNR e 30 na PJ.

    Numa primeira leitura do orçamento, segundo Nuno Magalhães, “não há garantias expressas” de que se vá reforçar os efectivos das forças de segurança.

    O antigo secretário de Estado da Administração Interna afirmou que estudos da própria PSP admitiam que, com a reorganização, seriam necessários mais 2.000 agentes e tiveram um reforço de 425.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.