Presidência

Cavaco critica exigências da 'troika' à banca portuguesa

Cavaco critica exigências da 'troika' à banca portuguesa

 

Lusa/AO online   Economia   11 de Nov de 2011, 10:59

O Presidente da República criticou a dificuldade desnecessária que o acordo da ajuda externa cria à economia com as condições impostas à banca e reiterou que só o Banco Central Europeu pode travar a especulação dos mercados.
Cavaco Silva defendeu, numa entrevista à Bloomberg, que as exigências de reforço de capital aos bancos portugueses até ao final do ano, feitas pela 'troika' da ajuda externa, deveriam ser iguais às que existem para outros países europeus onde os bancos têm prazos mais alargados para alcançar os mesmos objectivos

“A 'desalavancagem' é muito forte e muito rápida. Seria razoável que fosse mais gradual e esperamos que a 'troika' compreenda isso”, afirmou o Presidente, sublinhando que não se trata de renegociar “de nenhuma forma” o acordo de assistência financeira assinado com o Banco Central Europeu, o Fundo Monetário Internacional e a União Europeia.

“Isso está fora de questão”, acrescentou.

Na mesma entrevista, Cavaco Silva voltou a avançar com a ideia de que o Banco Central Europeu (BCE) deveria ter um papel mais activo e interventivo para travar a especulação dos mercados em relação à divida soberana.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.