Cardiff admite incapacidade para reforçar a equipa face ao desaparecimento de Sala

Cardiff admite incapacidade para reforçar a equipa face ao desaparecimento de Sala

 

Lusa/AO Online   Futebol   24 de Jan de 2019, 14:43

O Cardiff admitiu, esta quinta-feira, que não sabe como lidar com a situação provocada pelo desaparecimento do futebolista Emiliano Sala, relativamente à possibilidade de reforçar a equipa, quando falta uma semana para o fecho do mercado de transferências.

“Temos oito dias e não sabemos como lidar com este cenário”, reconheceu o diretor executivo, Ken Choo.

O responsável do Cardiff disse hoje, em declarações à rádio TalkSport, que a Liga inglesa não abrirá uma exceção que permita ao clube a contratação de jogadores após o encerramento do ‘mercado de inverno’, em 31 de janeiro.

Na segunda-feira, o avião privado, um monomotor Piper PA-46-310P Malibu, em que seguiam o avançado Emiliano Sala e o piloto David Ibbotson desapareceu pelas 20:00 dos radares, quando fazia o percurso entre Nantes e Cardiff, durante a travessia do Canal da Mancha.

O jogador, de 28 anos, tinha sido recrutado ao Nantes pelo Cardiff por cerca de 17 milhões de euros e ele mesmo se encarregou de marcar o voo, recusando a oferta de transporte oferecida pelo clube galês.

Os serviços de resgate de Guernsey têm realizado buscas, que hoje retomaram, com recursos a aviões, a helicópteros e a barcos, mas até ao momento sem resultados.

Na carreira, Emiliano Sala chegou a representar os portugueses do FC Crato, dos campeonatos distritais, antes de seguir para França, onde representou Bordéus, Orléans, Chamois Niortais, Caen e Nantes.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.