Nacionalização do BPN

Cadilhe critica actuação do Banco de Portugal


 

Lusa / AO online   Economia   3 de Nov de 2008, 21:49

O presidente do BPN, Miguel Cadilhe, criticou a forma como o Banco de Portugal lidou com as irregularidades detectadas na gestão anterior da instituição, que o Governo pretende nacionalizar.
"Houve falhas de vários lados, durante anos e anos. Sabemos que, em um dos lados, houve grave e demorada falha de supervisão. Uma falha de Estado, portanto", afirmou hoje o presidente do BPN, numa conferência de imprensa na qual colocou o lugar à disposição, assim que esteja concretizada a anunciada nacionalização do banco.

    Miguel Cadilhe salientou ainda que foram as auditorias realizadas por iniciativa da sua equipa de administração - que tomou posse em Junho - que descobriram as irregularidades cometidas nos últimos anos, e a acção do Banco de Portugal.

    Qualificando a decisão de nacionalização do banco, anunciada no domingo pelo Governo, de "radical e desproporcionada", Cadilhe afirmou ainda que esta foi uma "decisão política".

    O ministro das Finanças anunciou no domingo a nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN), devido à descoberta de perdas no valor de 700 milhões de euros, relacionadas com operações realizadas durante a gestão liderada por Oliveira e Costa (1998 a 2008).

    Segundo o ministro Teixeira dos Santos, a Procuradoria Geral da República está a investigar as alegadas irregularidades cometidas pela antiga gestão do banco.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.