Bibliotecas municipais vão disponibilizar coleção Curso Breve de Literatura Brasileira

Bibliotecas municipais vão disponibilizar coleção Curso Breve de Literatura Brasileira

 

Lusa/Ao online   Nacional   8 de Dez de 2018, 10:34

As 303 bibliotecas municipais portuguesas vão passar a disponibilizar a coleção Curso Breve de Literatura Brasileira, uma doação do instituto brasileiro Itaú Cultural, anunciada hoje na cerimónia de entrega do Prémio Oceanos, em Lisboa.

O anúncio da doação dos livros, mais de quatro mil, foi feita pelo presidente do Itaú Cultural, Eduardo Saron, e pouco depois confirmada pela ministra da Cultura portuguesa, Graça Fonseca, na cerimónia de anúncio dos vencedores do Prémio Oceanos de literatura, no Palácio Nacional da Ajuda, ao final do dia de hoje, em Lisboa.

“Fruto deste diálogo, que procura dar uma continuidade para além desta cerimónia, gostaria de agradecer ao instituto Itaú Cultural a gentil doação da coleção Curso Breve de Literatura Brasileira, aqui referida anteriormente”.

De acordo com Graça Fonseca, “através da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), esta obra, que tem o objetivo de dar a conhecer a literatura brasileira junto do público português, será distribuída pelas 303 bibliotecas públicas [municipais] do país”.

“Cada uma dessas bibliotecas receberá assim uma coleção com 14 volumes [que] disponibilizará ao público (...) para consulta e fruição”, afirmou a ministra.

Em Portugal existem 303 bibliotecas municipais, com valências gratuitas para os utilizadores, como acesso à Internet, requisição de livros e escuta de um disco, mas ainda há cinco municípios que não dispõem destes equipamentos.

Segundo dados da DGLAB, os municípios de Alzejur, Marvão, Terras de Bouro, Vila Viçosa e Calheta (São Jorge, Açores) não têm qualquer serviço de biblioteca para as 28.700 pessoas que lá vivem.

A maioria das 303 bibliotecas faz parte da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas (RNBP), estrutura criada em 1987 para dotar todos os municípios portugueses de uma biblioteca pública.

A escritora brasileira Marília Garcia venceu, com a obra “Câmera Lenta”, o Prémio Oceanos 2018, no valor de cem mil reais (cerca de 24 mil euros), foi hoje anunciado.

Na mesma cerimónia foram também anunciados os vencedores dos 2.º, 3.º e 4.º lugares do prémio, atribuído anualmente desde 2002.

O prémio do 2.º lugar, no valor de 60 mil reais (cerca de 14,3 mil euros), foi atribuído ao escritor português Bruno Vieira Amaral, com a obra “Hoje estarás comigo no paraíso”.

Com o 3.º lugar, prémio no valor de 40 mil reais (cerca de 9,58 mil euros), foi distinguido o poeta português Luís Quintais, com a obra “A noite imóvel”.

O prémio do 4.º lugar, no valor de 30 mil reais (cerca de 7,2 mil euros), foi atribuído ao poeta moçambicano Luís Carlos Patraquim, com a obra “Ó deus restante”.

Criado no Brasil em 2002, como Prémio Portugal Telecom, este ano foi a primeira vez que a reunião do júri final e o anúncio do vencedor decorreu em Portugal, desde que adquiriu a designação de Prémio Oceanos de literatura (2015).

A esta edição concorreram 1.364 obras, de 406 editoras.

Em 2017, a escritora portuguesa Ana Teresa Pereira venceu o Prémio Oceanos com o romance "Karen", sucedendo a José Luís Peixoto, que o conquistou em 2016, com "Galveias".

O patrocínio do prémio é garantido pelo grupo Itaú, pelo Fundo de Fomento Cultural, do Governo português, e pela CPFL Energia.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.