Berta Cabral quer manutenção dos postos de Finanças

Berta Cabral quer manutenção dos postos de Finanças

 

Lusa/AO online   Regional   8 de Out de 2012, 15:27

A candidata do PSD/Açores à presidência do Governo Regional, Berta Cabral defendeu esta segunda-feira a manutenção dos postos de Finanças nos 19 concelhos açorianos e um maior controlo da receita fiscal por parte das autoridades regionais.

“É para manter os postos de Finanças em todos os concelhos dos Açores, através de uma parceria cada vez mais ativa entre o Governo Regional e a Direção-Geral das Finanças, porque obviamente precisamos de ter o controlo da nossa receita fiscal”, afirmou Berta Cabral aos jornalistas, após uma breve visita ao posto do Nordeste, na ilha de S. Miguel.

Para a candidata social-democrata, que esta manhã fez campanha de rua na vila do Nordeste acompanhada por uma pequena filarmónica, os Governos açorianos, principalmente nos últimos 16 anos, “não tiveram a coragem suficiente para assumir esse objetivo de ser parte ativa da nossa própria receita”.

“Há capacidade instalada no terreno, há funcionários das Finanças a nível nacional que devem manter esse estatuto”, referiu, acrescentando que “o que funciona bem não se deve mexer”.

Questionada sobre uma eventual passagem para a tutela regional dos serviços de Finanças nos Açores, Berta Cabral limitou-se a dizer que “neste momento não se justifica” essa solução.

No posto de Finanças local, Berta Cabral cumprimentou um idoso que estava a ser atendido, a quem reconheceu a cara, mas foi próprio que se identificou como “primo muito chegado” do marido da candidata, que rapidamente disse que contava com ele a 14 de outubro “porque vale a pena o PSD e não porque é primo”.

Na porta ao lado, estava o escritório da Rede Integrada de Apoio ao Cidadão (RIAC), criada pelo atual Governo Regional Socialista, onde Berta Cabral entrou para dizer às duas funcionárias do serviço que “não faziam ideia como a RIAC seria importante no próximo Governo” ao nível do apoio às populações, turismo e informação sobre investimentos.

“São o balcão que deve ser a porta de entrada da administração regional em cada concelho. Confiem em nós, que em vez de duas vão ser mais”, referiu a candidata, que foi sempre acompanhada pelo autarca do Nordeste, o social-democrata José Carlos Carreiro.

Pelo caminho, encontrou um empresário, que confessou já ter despedido 14 dos 60 funcionários e que pediu a Berta Cabral, caso seja eleita a 14 de outubro, para não fazer apenas obras de grande dimensão, porque as pequenas empresas precisam de trabalho.

“Quem faz obras destas é o Partido Socialista. Comigo o emprego é a nossa prioridade número um”, respondeu Berta Cabral.

A comitiva social-democrata foi sempre acompanhada musicalmente pelo antigo hino do PSD, algo que Berta Cabral destacou como sendo “muito significativo”, alegando que “paz, pão, povo e liberdade são quatro palavras juntas, que hoje em dia valem mais do que nunca em termos de projeto para a nossa sociedade”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.